Publicado em 25/03/2015 as 12:00am

Filho de brasileiros morre afogado em Pompano Beach (FL)

Henrique Dias Amorim, de 3 anos e meio, morreu afogado na piscina durante uma festa em Pompano Beach (FL), na tarde de domingo (22)

Na tarde de domingo (22), uma tragédia tomou conta da família Amorim, na cidade de Pompano Beach (Florida). Um menino de três anos de idade morreu afogado em uma piscina, segundo informações do escritório do Condado de Broward. Trata-se de Henrique Dias Amorim, de apenas três anos de idade.

A casa não pertencia aos brasileiros, mas a família tinha autorização para usá-la. Um vizinho disse que era comum eles utilizarem o local para reuniões familiares.

Segundo os investigadores, em dado momento, todos estavam no interior da casa e o menino, de alguma forma, saiu e ninguém deu falta. “Até as cinco e meia da tarde, quando o seu tio deixava a propriedade e limpava o quintal e viu a criança no fundo da piscina”, detalhou Keyla Concepcion, porta-voz do escritório do Xerife. “Ele pulou na piscina, o tirou da água e imediatamente ministrou os primeiros socorros”, continuou.

Paulo Silva, o tio, ficou abalado e disse que “Ele era um menino brilhante; o futuro jogador de futebol da família”.

Henrique foi levado ao hospital Imperial Point, onde foi declarado morto às 6:30 pm. Emocionado, o tio fala sobre o sobrinho. “O tempo em que ele passou aqui, foi um anjinho que Deus nos deu para alegrar mais as nossas vidas durante esse tempo. Sentiremos bastante falta dele”, disse.

O pequeno Henrique era conhecido pelos familiares por “Rico” e amante do futebol. Todos elogiavam a sua habilidade com a bola e já aos três anos dava indícios de que seria um bom jogador.

Ainda abalado, ele lembre que “olhou para a piscina e vi o garoto”, pulou e o retirou da água. Em seguida iniciou a respiração artificial e gritou para alguém ligar para o 911 (número de emergência). “Jamais vou esquecer a cena. Vou levar isso comigo para o resto da vida”, afirmou.



DOAÇÃO DE ÓRGÃOS

A família do menino decidiu doar os seus órgãos e manter Henrique vivo em outras pessoas. Para o tio, esta foi uma forma encontrada de manter a memória do garoto viva.

CAMPANHA

Para ajudar nos custos de funeral, alguns amigos criaram uma campanha no site GoFundMe para levantar os recursos necessários. No texto, a mãe diz que fiou com um “grito engasgado no peito e o pai, com um olhar vazio e sem esperança”. O valor almejada era de US$6 mil. Mas até o fechamento desta edição, já havia sido arrecado mais de US$6,500.00

Para ajudar é sói acessar www.gofundme.com/pohm28

Fonte: Da Redação