Publicado em 8/05/2015 as 12:00am

Dia das Mães, como os brasileiros comemoram e matam a saudade

O Dia das Mães, que será comemorado no próximo domingo no Brasil, vai ser bem diferente para os brasileiros que moram nos Estados Unidos.

O Dia das Mães, que será comemorado no próximo domingo no Brasil, vai ser bem diferente para os brasileiros que moram nos Estados Unidos. Para matar a saudade e homenagear as mães será preciso usar telefone, chamadas via Skype, mensagens de WhatsApp e fotos em redes sociais como Facebook e Instagram.

Quem mora há muito tempo nos EUA comemora o fato de a tecnologia diminuir cada vez mais as distâncias. Como não é possível participar do tradicional almoço de família, um simples clique vai ajudar a por em contato mães e filhos, muitas dessas mães consideradas verdadeiros ídolos e exemplos de força.

Há também quem envie presentes todos os anos, com certa antecedência para dar tempo de a lembrança chegar em mãos até o segundo domingo do mês de maio.

Para saber como o Dia das Mães será lembrado por aqui, o Brazilian Times entrevistou alguns brasileiros, tanto os que moram nos EUA há muito tempo e também alguns recém-chegados. Veja o que eles disseram:

“SINTO MUITA SAUDADE”

“Sou de Içara (Santa Catarina) e moro há 13 anos nos Estados Unidos. Estou sempre em contato com minha mãe, dona Zuma da Silva Silvano, de 67 anos, mas especialmente no Dia das Mães sempre ligo, falamos por Skype e trocamos mensagens pelo grupo de WhatsApp da família. Sinto muita saudades porque minha mãe é um espelho para mim. Para homenageá-la sempre mando presentes como roupas e perfumes, tudo o que ela gosta”.

Zilda Silvano, 46 anos, mora em Lowell (MA) e tem uma companhia de limpeza

“NÃO É FÁCIL ESTAR LONGE”

“Moro nos Estados Unidos há 10 anos e praticamente falo com minha mãe todos os dias. O nome dela é Marli Aparecida da Silva Carvalho e ela mora em Caturaí (Goiás). Ela me faz muita falta, pois representa tudo para mim. Não é fácil passar o Dia das Mães longe dela, mas ela entende. Como presente, assim que cheguei aqui e atingi meus objetivos, dei uma casa para ela e meu pai, onde eles moram até hoje. Em breve, ela e meu pai virão me vistar”.

José Carlos de Carvalho, 38 anos, mora em Norwook e é cozinheiro

“ENVIO PRESENTE TODO ANO”

“Estou nos Estados Unidos há 10 anos e deixei minha família em Belo Horizonte (Minas Gerais). Sou muito ligada à minha mãe, que se chama Jane Araújo e tem 62 anos. Estamos sempre em contato, mas especialmente no Dia das Mães envio um presente de algo que ela gosta. Também coloco meus filhos, Brian (6 anos) e Enzo (1 ano e meio) para falar com ela. Esse ano enviei um celular novo para ela, pois ela está aprendendo a usar o WhatsApp e com isso vamos estar ainda mais em contato. Faço tudo o que posso para me comunicar e estar sempre presente.

Talita Teixeira, 31 anos, mora em Malden,é babby sitter e fundadora do Bazar de Boston

“TENHO MÃES ADOTIVAS”

“Minha mãe morreu há 26 anos, mas desde que cheguei aos Estados Unidos algumas mães me adotaram por aqui. Sou de Governador Valadares (Minas Gerais) e estou na América há 12 anos. Meu irmão já morava aqui com a namorada e com a mãe dela, que se chama Maria Cornélia. Foi ela que me recebeu como uma mãe, dando muita atenção e carinho. Depois também ganhei outras mães da comunidade católica de Cambridge, sendo uma delas a dona Leontina, que já voltou para o Brasil. Também a dona Sebastiana e Lucia Cáliles, que são pessoas que me apóiam a todo momento e me ajudam. Estamos sempre em contato”.

Hudson Prates mora em Everett e trabalha em empresa de limpeza

“1º DIA DAS MÃES LONGE DELA”

“Sou de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, e estou nos Estados Unidos há um ano. Este será meu primeiro Dia das Mães longe da minha mãe, Marisa Bacani, 55 anos. No ano passado viajei para cá justamente no Dia das Mães depois que almocei com ela e minha família. Estamos sempre em contato e neste domingo vamos falar e nos ver por Skype. Este ano ela e minha irmã vieram me visitar em fevereiro e foi muito bom para aliviar um pouco a saudade”.

Mariane Magnani, 24 anos, mora em Malden e trabalha como vendedora numa loja de celulares

“PARABENIZO MÃE, AVÓ E TIAS”

“Sou de Londrina (Paraná) e estou há seis anos nos Estados Unidos. Em todo esse tempo, no Dia das Mães eu ligo para parabenizar minha mãe e aproveito para falar com minha avó e minhas tias, pois minha família se reúne para o almoço de domingo. Também envio presentes e este ano vamos falar pelo Face Time e vai dar para rever todo mundo. Essa é a maneira para estar em contato e mesmo estando longe poder parabenizá-la pelo seu dia”.

Vinícius Alves, 32 anos, mora em Revere e é gerente de uma unidade da Domino´s




Fonte: Da Redação do Brazilian Times | Texto de FABIANO FERREIRA