Publicado em 8/06/2015 as 12:00am

Após AVC, "Corredor da Paz" se recupera em Newark

Exames revelam que fotógrafo poderá ser liberado do hospital quando seu nível de coagulação no sangue atingir o estágio 2

Da redação

     O fotógrafo freelance Geraldo da Silva Carlos, de 54 anos, natural de Governador Valadares (MG), conhecido popularmente como “Corredor da Paz”, informou ontem ao Brazilian Times sobre sua situação de saúde. Ele se encontra internado no Hospital Universitário de Newark (UMDNJ) e os médicos realizaram diversos exames e constataram que o nível de coagulação em seu sangue está em estágio 1 e, quando atingir o estágio 2, ele poderá ser liberado. Geraldo sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) na noite de quinta-feira (28) e na segunda-feira (1) foi submetido a um cateterismo para desbloquear uma artéria que irriga diretamente o cérebro. Desde então, ele está internado.

     Ele tornou-se figura popular na comunidade por ajudar a polícia a prender inúmeros criminosos ao longo dos anos, chegando a receber uma comenda da Prefeitura e do Departamento de Polícia de Newark por seus atos de bravura. Entre os casos mais célebres envolvendo Geraldo está a descoberta do corpo de uma mulher nas instalações abandonadas do Cineplex, também no Ironbound, há vários anos. O caso resultou em uma ação judicial apresentada pelo BV contra o Departamento de Polícia de Newark sob a acusação de impedir a liberdade de imprensa. O incidente, envolvendo Geraldo e Roberto Lima, fundador e editor chefe do BV, ganhou repercussão nacional nos Estados Unidos, na ocasião.

 Em 27 de dezembro, Geraldo foi liberado após ter ficado internado durante quase 2 meses no hospital. O fotógrafo sofria problemas cardíacos há vários anos e teve que ser internado de emergência após ter se sentido mal no final de novembro. A rotina de Geraldo deveria incluir uma dieta alimentar rigorosa, remédios controlados e duas vezes por semana visitas ao Hospital Beth Israel, onde são colhidas amostras de sangue e feitos exames regulares.

     Ele mora há 28 anos nos Estados Unidos e se tornou popular por ajudar em várias ocasiões a polícia de Newark a prender ladrões e delinquentes na região, onde se concentra a comunidade de língua portuguesa em New Jersey.

Fonte: Brazilian Times