Publicado em 8/06/2015 as 12:00am

Incêndio em Chelmsford (MA) deixa brasileiros desabrigados

Família mineira estava dormindo quando as chamas começaram; agora, eles precisam de ajuda

Luciano Sodré

Por volta das 7 horas da manhã deste domingo (07), em Chelmsford (Massachusetts), a família da mineira Rosemeire Oliveira foi acordada com gritos de “fogo, fogo, saiam todos!”. O motivo é que a casa onde ela mora com o marido e mais quatro filhos estava em chamas. Em entrevista ao Brazilian Times, ela conta que ainda não se deu conta do que aconteceu e não lembra quem foi que entrou na casa gritando.

Rose, como prefere ser chamada, disse que todos estavam dormindo e alguém passou na rua e viu as chamas no sótão da casa e bateu na porta para alertar sobre o incêndio. “Depois disso, esta pessoa entrou na casa e começou a gritar. Foi Deus quem o colocou naquele momento, pois se ele não tivesse aparecido, não sei o que seria de nós, pois estávamos dormindo”, disse.

Logo que ouviu os gritos e entendeu o que estava acontecendo, Rose agiu depressa e tirou seus filhos e o marido da casa. “Além deles, também estavam dormindo minha sogra, dois irmãos e os filhos dele”, conta. Ela ressalta que todos conseguiram sair a tempo. “Graças Deus ninguém se feriu”, continua.

Os bombeiros foram acionados e 20 minutos depois estavam no local combatendo o fogo. Mesmo assim, a parte de cima da casa ficou bastante destruída e a família perdeu muita coisa. Rose relata que as roupas das crianças mais novas queimaram todas, assim como as camas e outros móveis que ficavam no andar superior.

Apesar de o fogo não ter danificado o primeiro andar, a água usada pelos bombeiros para apagar o incêndio destruiu alguns móveis, aparelho de televisão, computador entre outros. A família de Rose foi amparada pela Cruz Vermelha, que a colocou em um hotel próximo à região. “Enviei meus dois filhos menores (2 e 4 anos) para um parente em Fall River (MA). Os outros dois estão comigo e meu marido neste hotel”, explica.

Ainda sem saber o que fazer, Rose disse que nesta segunda-feira vai à casa para acompanhar a perícia e avaliar o que perdeu e o que pode pegar do imóvel até ele ser interditado. “A Cruz Vermelha pagou apenas três dias para que nós ficássemos neste hotel e depois disso não sei o que vai ser de nós, pois perdemos muitas coisas”, fala.

Alguns amigos estão se mobilizando para ajudar a família e todas as doações podem ser feitas diretamente com Rose. O telefone dela para quem quiser colaborar é (508) 840-9473. A princípio, eles estão precisando de roupas, camas, forros e lençóis e alguns móveis. “Mas somente nesta segunda que vou saber realmente qual foi o prejuízo e o que vamos precisar”, afirma.

Rose e seu marido são naturais de Engenheiro Caldas, em Minas Gerais. Ela mora nos Estados Unidos há cinco anos e trabalha em uma laundry. Ele é motorista e está neste país há 14 anos. As causas do incêndio ainda estão em investigação.

Fonte: Brazilian Times