Publicado em 12/06/2015 as 12:00am

Auxílio moradia para servidores do Consulado continua atrasado

Mesmo com paralisação nos consulados brasileiros em vários países, reivindicações ainda não foram atendidas

Fabiano Ferreira

Mesmo depois de uma paralisação no mês passado para uma série de reivindicações, servidores de consulados brasileiros continuam a enfrentar os mesmos problemas. O principal deles é o atraso no repasse do auxílio-moradia, que deveria ser enviado mensalmente pelo governo brasileiro.

No Consultado Geral do Brasil em Boston, por exemplo, cerca de 10 servidores contam mensalmente com o auxílio, mas o último pago refere-se ao abril. Os repasses de maio e junho ainda não foram transferidos.

Na pauta de reivindicações, quando houve a paralisação, os servidores também queriam reajustes salariais, passaportes diplomáticos para algumas funções e plano de carreira. Mas nenhum desses pedidos foi atendidos, mas os funcionários voltaram às suas atividades.

Segundo informações de um servidor do Consulado Geral do Brasil em Boston, a única novidade é que o Ministério das Relações Exteriores e o Ministério do Planejamento se reuniram para afinar o diálogo entre as instituições, juntamente com o Sinditamaraty (Sindicato Nacional dos Servidores do Ministério das Relações Exteriores). Depois disso, o Ministério das Relações Exteriores expediu um ofício em que afirma seu compromisso e boa vontade em atender aos pedidos futuramente.

O governo brasileiro tem feito ajustes que não permitem atender plenamente às reivindicações, mas se comprometeu a garantir os recursos para pagamento dos servidores do Itamaraty que trabalham no exterior. A informação está no documento feito pelo Ministério e postado no site do Sinditamaraty.

O ministro Mauro Viera, em seu documento, afirma que mesmo ciente do contexto financeiro-orçamentário da Administração Pública Federal, assegura a continuidade do diálogo com o Itamaraty e o sindicato, para dar encaminhamento às demandas.

Para mais detalhes, basta acessar:

www.sinditamaraty.org.br/anexos

Fonte: Brazilian Times