Publicado em 17/06/2015 as 12:00am

Brasileiro se diz vítima de racismo e gera polêmica na internet

Albertinho Gazio postou vídeo contando que é discriminado por negros no condomínio em eu mora, em Maryland

Luciano Sodré

     Conhecido na internet pela polêmica que gera com sua posição em relação à diversos assuntos, o fotógrafo Albertinho Gazio, 56 anos, publicou um vídeo em seu canal no You Tube relatando ser vítima de racismo por parte da comunidade negra que domina o condomínio onde ele mora, em Maryland.

     Ele inicia o vídeo mostrando o condomínio onde mora e citando que apenas ele é de família de hispanos, de cor branca, e que o restante dos moradores são negros. “O ruim de você morar numa comunidade como esta, dominada por negros, é que aqui tem vários carros valiosos e quando eu me mudei para cá roubaram minha van e recentemente derrubaram minha moto mais nova”, diz.

     Albertinho afirma não ser racista. “Mas quando você mora em uma comunidade em que só você é de outra cor, a pessoa fica a mercê”, disse. Ele segue afirmando que foi roubado por causa da sua cor de pele. Em relação a moto derrubada, ele ressalta que foi perseguição, pois escolheram a moto mais nova para derrubar. “Por que fizeram isso? Por que só minha moto, só meu carro?”, indaga.

     Ao final do vídeo, o brasileiro ainda faz um “alerta” para que as pessoas não irem ao Condado de Príncipe George, “porque 90% da população é negra”. A princípio, a ideia dele era mostrar que estava sofrendo discriminação por ser de uma cor diferente da que domina a região, mas as insinuações de que um negro teria roubado sua van e derribado sua moto, gerou uma cadeia de discussão sobre o assunto.

     O vídeo já chegou a quase cem mil visualizações e um seguidor do canal chegou a dizer que Albertinho não poderia acusar ninguém, pois não viu quem roubou. Outro internauta chegou a afirmar que “odeia a raça negra”.

     Já outras pessoas se indignaram pelo fato dos comentários de Albertinho parecerem racistas e que ele não deveria falar contra a comunidade negra de uma forma generalizada. Isso porque no titulo do vídeo ele escreveu “O ruim de morar num condomínio de negros nos Estados Unidos”.

     Outros pessoas afirmam que o vídeo foi para mostrar que existe muito racismo por parte dos negros em relação aos brancos e que nos Estados Unidos isso é muito comum. “O negro se acha no direito de ser racista e pensa que pode praticar os mesmos atos que queriam criminalizar nos EUA antigamente”.

     Uma brasileira que se identificou como Sabrina Ketylin disse que passou por um problema semelhante, pois ela e seu namorado (um americano branco) se hospedaram em um hotel na cidade de Hartford (Connecticut), onde na maior parte da cidade só residem afro-americanos. “Meu namorado pediu informações de como chegar à casa de Mark Twain e eu mal pude acreditar quando o recepcionista imprimiu um mapa e começou a responder todas as perguntas para mim e não para ele”, disse.

     Outro internauta disse que se “fosse uma pessoa branca agindo da forma como foi citada no vídeo, os defensores apareceriam para chamá-lo de assassino, racista e tudo mais”. Para ele, Albertinho pegou leve porque sabe que se falar a verdade surgirão “os hipócritas que até tentarão fechar o canal dele”.

     A reportagem do Brazilian Times tentou entrar em contato com Albertinho, mas não obteve êxito. Para ver o vídeo sobre este assunto acesse www.youtube.com/watch?v=2SIbBxcs5KE

Fonte: Brazilian Times