Publicado em 23/06/2015 as 12:00am

Brasileiro morre durante salto de paraquedas nos EUA

Acidente aconteceu no começo da tarde deste sábado na Califórnia. Andrei Penz, de 30 anos, vivia em San Diego há cinco anos, diz tio.

Da redação

Acidente aconteceu no começo da tarde deste sábado na Califórnia. Andrei Penz, de 30 anos, vivia em San Diego há cinco anos, diz tio.

O paraquedista brasileiro Andrei Penz, de 30 anos, morreu durante um salto nos Estados Unidos. A suspeita é que o equipamento não tenha aberto enquanto Penz realizava uma manobra. O acidente aconteceu no começo da tarde desta sexta-feira (18) na cidade norte-americana de Jamul, no estado da California.

Natural de Porto Alegre, Andrei vivia há cerca de cinco anos em San Diego e trabalhava como instrutor de paraquedismo. Em Porto Alegre, o Grêmio, clube pelo qual Andrei torcia, realizou um minuto de silêncio em homenagem a ele pouco antes do jogo contra o Palmeiras na noite deste sábado.

Tio de Andrei, o conselheiro do Grêmio Airton Ruschel lamentou a morte e afirmou ser cedo para especificar as causas.

“Ele morava em San Diego, era instrutor e tinha mais de 1,5 mil saltos. Era muito experiente. Ele estava fazendo mais um salto, foi fazer uma manobra e aconteceu esse acidente. Agora eles vão estudar o que houve. Sabemos que os Estados Unidos são muito rigorosos nisso, mas vai demorar um pouco para que se tenha as respostas definitivas”, disse Ruschel.

O corpo de Andrei deverá ser cremado nos Estados Unidos. Parte das cinzas deverá ser depositada sobre o Oceano Pacífico, e o restante, levado ao Rio Grande do Sul. Ainda segundo Ruschel, duas missas seriam realizadas na Igreja São Manoel, em Porto Alegre, em memória do paraquedista.

A morte de Andrei repercutiu na imprensa norte-americana. O site da rede de televisão NBC descreveu o gaúcho como um “instrutor de paraquedismo perito com paixão por aventura e amor pela vida”. Segundo a publicação, Andrei saltou às 13h30 no horário local, 17h30 em Brasília, conforme informações da polícia de San Diego.

“Uma testemunha que observava debaixo disse a policiais que, quando o homem se aproximou do solo, ele podia vê-lo mexendo nos botões do paraquedas. No entanto, isso não aliviou a queda, e ele bateu forte no chão. A testemunha disse que o paraquedas parecia ter se rompido parcialmente enquanto o paraquedista se aproximava do chão”, diz a publicação.

Fonte: Brazilian Times