Publicado em 26/06/2015 as 12:00am

Brasileirinha nasce a caminho do hospital em Boston

Avó foi quem fez o parto da filha, que deu à luz à Hannah, dentro carro; menina nasceu no Dia dos Pais e do aniversário do irmão

Fabiano Ferreira

     O dia 21 de junho de 2015 vai ficar marcado para sempre na vida da brasileira Daiana Meireles, de 27 anos, moradora de Woburn (MA). A caminho do hospital Beth Israel (Boston), ela deu à luz a Hannah, no carro, à beira da rodovia, na saída 36. O parto teve de ser feito às pressas, e de forma improvisada, por sua mãe, Sandra de Carvalho, 44 anos, com a ajuda do marido de Daiana, Walter Meireles.

     A bebê veio ao mundo por volta das 6:30 am, dentro da Mercedes dirigida por Meireles, que ligou para o 911 assim que parou o carro e constatou que sua mulher estava em trabalho de parto. Mas como a bolsa havia estourado, a bebê começou a nascer no local mesmo.

     Quem relatou toda a história ao Brazilian Times foi a mãe de Daiana. Ela conta que o parto da filha estava previsto para o dia 21 mesmo, mas logo cedo, por volta de 6:00 am, Daiana, que mora em North Reading, chegou com os outros dois filhos, Hadassah (6 anos) e Jhonatan (5 anos) para deixar com ela em Woburn. Quando pegaram a estrada, ela sentiu as primeiras contrações. “Percebi que as contrações iam aumentando em menos espaço de tempo e quando pedi para meu genro parar o carro vi que a bolsa já tinha estourado e cabecinha da bebê já estava saindo”, conta a avó, emocionada.

     Ela disse que tudo aconteceu muito rápido. “Eu pensava: ‘meu Deus me ajude’! Eu tremia muito, mas me sentia agraciada por estar ali naquele momento”, lembra. Sandra disse que conforme a menina ia saindo ela a envolvia em suas mãos e assim que a teve totalmente em seus braços colocou Hannah sobre o peito da mãe. “Tudo isso durou cerca de 6 minutos, mas pareceu muito mais. A Daiana estava bem nervosa, mas meu genro a acalmava enquanto eu me preocupava somente com a bebê”, continua.

      

     Caso inédito

     Assim que os bombeiros chegaram, a pequena Hannah teve o cordão umbilical cortado e ela e a mãe foram colocadas na ambulância. De acordo com Sandra, eles relataram que foi a primeira vez que atenderam um caso desse tipo e também ficaram emocionados com toda a história.

     Assim que mãe e filha foram acomodadas na ambulância, Sandra ligou para suas filhas, Jennifer (9 anos) e Stefane (9) e contou o que havia ocorrido e voltou para casa para tomar banho, pois havia se sujado durante o parto. Em seguida, ela foi para o hospital.

     Hannah nasceu com 7.1 pounds e 19 inches e muito saudável, para a alegria de toda a família.

     Os endereços de Facebook dos pais dela e da avó já têm fotos e dezenas de mensagens de boas-vindas.  Walter Meireles também publicou o vídeo que fez ainda no carro, assim que Hannah foi entregue à mãe.

     A família está exultante porque mesmo tendo nascido antes de chegar ao hospital, deu tudo certo e a bebê passa bem. A felicidade foi maior ainda para Walter, pois Hannah veio ao mundo no “Father’s Day” (Dia dos Pais). E no domingo, Jhonatan, filho do casou, também fez aniversário e completou 5 anos.

     “Aconteceu exatamente como eu não gostaria”

     A brasileira Daiana Meireles, 27 anos, que deu à luz a Hannah, no último domingo, dentro do carro a caminho do hospital, falou ao Brazilian Times sobre a experiência inusitada:

     “Foi um susto e uma grande emoção ao mesmo tempo. Aconteceu justamente o que eu tinha medo que acontecesse que era ter minha filha fora do hospital. Eu até havia comentado isso com a médica. Na hora fiquei muito nervosa, mas meu marido me acalmava enquanto ligava para o 911. Quando vi que a bebê estava nascendo ali no carro fiquei em choque, porque não acreditava que aquilo estava ocorrendo daquela forma. Depois orei muito a Deus pedindo que abençoasse para que  tudo desse certo. Meu marido tirou o cordão umbilical que estava enrolado no pescoço dela e a colocou em meus braços. Foi emocionante. Vivi uma montanha russa de emoções, alegre e assustada ao mesmo tempo.

     Quando cheguei ao hospital todos já estavam me esperando. As enfermeiras me diziam que o que aconteceu comigo era muito raro. Todos me trataram muito bem. Agora estou bem e muito feliz com minha filha. Era para ter sido assim”.

Fonte: Brazilian Times