Publicado em 26/06/2015 as 12:00am

Mulher é acusada de ameaçar gay com tesoura no pescoço

Christina Pereira estaria irritada com os gritos provenientes do ato sexual entre seu "roomate" e outro homem

Da Redação

     Uma mulher que mora em Framingham (Massachusetts), com raiva de seu “roomante”, que estava fazendo sexo com outro homem, o ameaçou com uma tesoura em sua garganta. O fato aconteceu na terça-feira (23), segundo informaram as autoridades locais. Christina Pereira, 52 anos, foi presa em sua casa, na Thompson Drive, por volta das 11:00 p.m.

     Conforme relatou a Procuradora Emily Farley, durante uma audiência na quarta-feira (24), no Tribunal Distrital de Framingham, a vítima mora na casa com a acusada, o marido dela e outros membros da família. “Pereira estava com raiva porque o roomate tinha outro homem em seu quarto”, disse.

     De acordo com o relatório policial apresentado no tribunal, enquanto Pereira colocou a tesoura na garganta da vítima, ela o chamou de "viado e disse que era nojento ter relações sexuais com outro homem".

     Quando ela afastou-se do homem, a vítima ligou para o 911 (número de emergência). Ao ser questionada pela polícia, Pereira disse que "não achava certo" a vítima ter relações sexuais com outro homem no quarto ao lado do filho adolescente, que estava dormindo.

     A polícia indiciou a acusada por agressão com arma perigosa (tesoura) e interferir nos direitos civis de uma pessoa. A procuradora pediu ao Juiz Douglas Stoddart para determinar que Pereira fique longe da suposta vítima. Ela também solicitou que a indiciada seja proibida de beber, pois a vítima relatou que “Pereira tem problemas com bebidas alcóolicas”.

     O advogado de Pereira, Mark Helwig, disse que a sua cliente nega as alegações. "Ela estava chateada depois de ouvir os gritos provenientes do ato sexual no quarto ao lado do filho dela e como mãe decidiu confrontar isso”, explicou. “Ela apenas disse que o roomate não poderia fazer aquilo com o filho dela dormindo no quarto ao lado. Mas jamais o tocou e nunca o ameaçou", continuou.

     Stoddart determinou que Pereira fique longe da vítima. A acusada deve retornar ao tribunal no dia 11 de agosto para uma conferência de pré-julgamento.

Fonte: Brazilian Times