Publicado em 29/06/2015 as 12:00am

Dilma se reúne com Obama para discutir fim de vistos para brasileiros

Durante visita oficial da presidenta Dilma, os dois países devem anunciar avanços nas discussões para facilitar a entrada de quem viaja com frequência aos Estados Unidos

     O governo vem negociando a inclusão dos turistas brasileiros e brasileiras no programa “Global Entry”, que facilita a vida de quem viaja com mais frequência aos Estados Unidos, sobretudo a trabalho. A visita oficial da presidenta Dilma Rousseff, que começa hoje, segunda-feira (29), pode trazer avanços nas negociações.

     “Há, efetivamente, uma discussão em andamento sobre a participação do Brasil no programa. Tem havido discussões tanto aqui como em Washington sobre o tema e esperamos fazer anúncio em relação a esse tema em um comunicado conjunto”, afirmou o embaixador Carlos Paranhos, sub-Secretário Geral Político do Ministério de Relações Exteriores. “Porém, não sei se será possível acertar todos os detalhes técnicos até a próxima terça.”

     No Global Entry, o viajante faz o cadastramento e recebe uma aprovação prévia das autoridades norte-americanas, bastando passar o passaporte em um leitor eletrônico ao desembarcar. Assim, fica dispensado de enfrentar filas. Segundo Paranhos, o avanço sobre inclusão do Brasil no programa “Global Entry” não tem relação com o tema da isenção de vistos para qualquer turista brasileiro.

     “A outra questão é a da isenção do visto, uma questão de mais longo prazo. E é importante saber separar bem para não criar uma expectativa de que haveria um anúncio de isenção de vistos (para brasileiros), o que não será o caso”, ressaltou Paranhos.

     Desde 2010, os turistas brasileiros passaram a ter vistos de passaporte com validade de dez anos. A partir de 2005, o Brasil registra um número crescente de pessoas que viajam para os Estados Unidos. No ano passado, a Embaixada dos EUA no Brasil concedeu 1,075 milhão de autorizações de visto, um nível recorde e que superou o pico anterior de 1,039 milhão de 2012.  Fonte:Portal Brasil.

Fonte: Brazilian Times