Publicado em 29/06/2015 as 12:00am

ENQUETE: Brasileiros avaliam economia americana

Brazilian Times perguntou a brasileiros formadores de opinião o acham do momento econômico vivido pelos Estados Unidos

Fabiano Ferreira

 

     Qual sua opinião sobre a economia americana? Está melhor ou pior nos últimos anos? Qual a expectativa para o segundo semestre? Para os brasileiros, está bom? Essas foram as perguntas que o jornal Brazilian Times fez na enquete dessa semana a brasileiros que atuam em diferentes áreas na região da Grande Boston.

     As últimas notícias sobre a economia dos Estados Unidos trazem informações boas e não tão animadoras ao mesmo tempo. Segundo relatórios de consultorias especializadas, o crescimento econômico do País ficou em apenas 0,2% no primeiro trimestre do ano. Era esperada uma expansão de 1%.  O impacto das nevascas, a fragilidade econômica internacional e a valorização do dólar estão entre os motivos.

     No entanto, a notícia boa é de que criou-se mais empregos do que o que era esperado. No último trimestre, a taxa de desemprego caiu de 5,7% para 5,5%.

     Mas e para a comunidade brasileira, existe algum impacto? Com as mudanças econômicas ocorre alguma mudança no consumidor? Veja a opinião de brasileiros ouvidos pela reportagem:

 

 

     Setor de limpeza sofre com cortes

     “Trabalho com limpeza comercial e doméstica e percebo que quando a economia está em crise sou uma das primeiras a ser afetada através dos cortes do orçamento das famílias e do fechamento das empresas comerciais. Sofremos muito durante o auge da crise imobiliária, perdemos muitos clientes e também perdemos em termos da necessidade de adequarmos os preços para sobreviver durante a crise. Hoje sinto que saímos do vermelho para uma situação mais confortável em termos de sobrevivência, mas ainda de forma muito frágil. A manutenção dos índices de juros e o preço do combustível têm contribuído com as pequenas empresas, de forma especial, mas ainda estamos longe de recuperar o poder de compra e de acesso à aquisição de bens imóveis que tínhamos antes da crise imobiliária.

 

Margareth Shepard, integrante do Grupo Mulher Brasileira

 

 

     “Vivemos uma fase diferente”

     “Eu acho que o mercado está vivendo uma fase diferente. Os brasileiros não estão gastando tanto quanto antes. Acredito que houve uma época que seguraram um pouco talvez pela possibilidade de legalização e com isso teriam gastos. Mas também tem outra questão importante. Antes os brasileiros eram muito consumistas e hoje já não querem trabalhar tanto como antigamente. Então por isso talvez também não gastem como antes. Não diria que melhorou ou piorou, mas sim que hoje vivemos uma fase econômica diferente”,

Flávia Leal, empresária do Flavia Leal Beauty Institute

 

 

     Impasses políticos

     “Na minha opinião, a economia já foi melhor. Há 9 anos, por exemplo, estava bem melhor. Depois houve uma queda e agora aos poucos estamos recuperando o número de vagas de empregos, por exemplo. Aos poucos o índice de confiança do consumidor está sendo retomado. Acredito que os impasses políticos em Washington e a polarização entre partidos prejudica a votação e aprovação dos projetos necessários para melhorar questões como reforma tributária e o social security, por exemplo.”

Danilo Brack, advogado, mora nos EUA há 26 anos

 

 

     Movimento está bom

     “Para mim a economia está boa, tudo tranqüilo. Até 2010 foi um pouco complicado, mas depois começou a melhorar novamente. Tenho restaurante em Everett e aqui o movimento está bom, com uma cliente muito boa.

Wilton Rangel, proprietário do Oliveira de Everett, mora há 25 anos nos EUA

 

 

     Expectativa é boa

     “A situação econômica está positiva, está melhorando. Não é como há muitos anos atrás, mas pelo movimento sinto que está bom. Aqui fazemos remessas de dinheiro e venda de passagens e estamos com uma boa clientela. A expectativa é que agora com o verão no segundo semestre fique ainda melhor”

Gilberto Yoshida, da Change Express, mora há 25 anos nos EUA

Fonte: Brazilian Times