Publicado em 13/07/2015 as 12:00am

Autoridades revelam que DRF transferiu us$ 310 MIL para Sann Rodrigues

Brasileiro acusado de fraudar a aplicação para o Green Card e ser um dos nomes fortes do esquema da Telexfree continua preso e demitiu seu advogado

Da Redação

A situação do acreano Sanderley Rodrigues Vasconcelos, mais conhecido por Sann Rodrigues, está cada vez mais complicada. Ele foi preso, pela primeira vez, no Aeroporto Internacional de Newark (New Jersey), dia 16 de maio. A acusação é que ele teria fraudado sua aplicação para obtenção do Green Card. Ele compareceu diante de um juiz no dia 29 de Junho com $200 mil para pagar fiança, mas novamente foi preso. Desta vez a pedido da justiça brasileira.

Na ocasião, o juiz e as autoridades não souberam explicar onde Sann Conseguiu o valor citado. Mas o site norte-americano BehindMLM. Org, que tem acompanhado o caso desde o começo e entrevistou vários especialistas em pirâmides e autoridades ligadas à prisão do brasileiro, divulgou que os advogados deixaram o caso por não receber os últimos pagamentos.

Rodrigues está preso há mais de 60 dias no Centro de Detenção Wyatt, localizado em Central Falls (RhodeIsland). Outra complicação na vida de Sann é uma revelação feita pela neste final de semana pela Security and Exchange Comission (SEC). Segundo uma nota divulgada por ela, a DRFR acusada de também ser um esquema de pirâmide, teria transferido para uma conta do acreano o valor de US$ 310,000.

De acordo com o site www.asdupdates.com, em uma carta onde o ex-advogado Joseph F. Hennessey explicou sua saída do caso, ele relatou que foi “devido a uma quebra de comunicação entre o réu e a defesa”, o que ficou praticamente impossível desenvolver o trabalho.

Segundo as informações, Rodrigues está sem advogado desde o dia 7 de julho. Ele terá um prazo 60 dias para constituir um novo advogado ou ser indicado um defensor público. Alguns especialistas acreditam que se Rodrigues for condenado por todos os crimes, poderá pegar 60 anos de prisão, sendo 10 pela fraude na aplicação para o Green Card e os demais pelos crimes cometidos através da Telexfree, Ifreex e a recente ligação com a DFRF Enterprise, do brasileiro Daniel Fernandes Rojo.

Fonte: Brazilian Times