Publicado em 13/07/2015 as 12:00am

Sandra Ferreira, uma joia rara com um imenso talento clássico em MA

"Sinto, Logo existo." Parafraseando o pensamento positivista do filósofo francês, René Descartes, que entendia a essência humana como sendo centrada no pensamento ("Penso, logo existo.")

Da redação

“Sinto, Logo existo.” Parafraseando o pensamento positivista do filósofo francês, René Descartes, que entendia a essência humana como sendo centrada no pensamento (“Penso, logo existo.”), hoje a ciência nos mostra, ao contrário do que os positivistas pregavam, que o sentimento é aspecto ainda mais essencial da existência humana. De fato, é o que determina-nos o sentido da vida. A partir de tais conceitos, toda a compreensão da vida, do outro e de si mesmo é transformada. Sentir-se em paz consigo mesmo, motivado a exercer a missão única e individual que pertence a cada um de nós, é o que assegura-nos o crescimento e a saúde mental. Através do autoconhecimento e da consciência dos mais profundos sentimentos da alma, o ser-humano pode crescer, alcançar a saúde e a felicidade.  Nessa jornada, tanto a ciência quanto as artes têm papéis fundamentais. Entretanto, quais são as fronteiras entre a ciência e as artes?

Ao analisarmos a vida de profissionais como Sandra Ferreira, tais fronteiras tornam-se bastante tênues ou inexistentes. Natural do Rio de Janeiro, Sandra cresceu em São Paulo com sua família a partir dos seus 3 anos de idade, após sua mudança por motivos de trabalho de seu pai. Iniciou seus estudos em Piano Clássico aos 9 anos de idade en São Paulo, graduando-se em 1989. Formou-se também em Psicologia Clínica pela PUC de São Paulo em 1990. Desde então, atua profissionalmente em ambas as áreas. 

No Brasil exerceu carreira como psicóloga clínica por 10 anos, iniciando pesquisa pioneira sobre o uso da música no tratamento de pacientes neurológicos graves em UTI do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo. Tal pesquisa a trouxe aos EUA, dando continuidade a seus estudos em Musicoterapia pela Universidade de Nova Iorque, em 1999.           

Continuou seus estudos musicais em canto clássico desde o Brasil, estendendo sua formação através de mestrado em Opera Performance pelo Conservatório de Boston, concluído em 2004. Como cantora atuou em grupos renomados como o Coral Sinfônico do Estado de São Paulo, Coral Camerata da Universidade Yale, Orquestra Sinfônica de Boston, Coral Tanglewood de Boston, Companhia de Opera da Harvard, Companhia de Opera Metrowest, dentre outros. Atuou também como diretora de música em diversas igrejas e corais comunitários. Nos últimos anos, devido à grande demanda em suas clínicas de psicologia, apresenta-se em eventos particulares como casamentos, aberturas de congressos, assim como concertos independentes em Massachusetts, Nova Iorque, Connecticut, Carolina do Norte e São Paulo.

Tem como missão a divulgação da música erudita brasileira nos EUA, assim como a utilização da música como instrumento de cura através de sua voz única que toca os corações de seus ouvintes. Tal carreira, excêntrica e diferenciada, associando música e psicologia define-se pelos preceitos de que a música cura e entender a alma humana é musical.

Em seu próximo concerto público, OPERART, Sandra fará uma interpretação musical das obras da artista Margarette Mattos, que utiliza minerais do Brasil em suas pinturas. Venham celebrar o início das comemorações da Independência do Brasil conosco, através desse espetáculo único e diferenciado que será realizado dia 15 de Agosto de 2015 (Sábado), às 19h00, na sala de Concerto localizada no 33 da Garden Street, Cambridge, MA. Para mais informações e ingressos entrem em contato por email: amamusicevents80@gmail.com

Fonte: Brazilian Times