Publicado em 12/08/2015 as 12:00am

Brasileiros denunciam mais uma empresa de envio de caixas

Segundo Irene Garcia, mais de 400 caixas que foram enviadas pela CT Trading USA e desapareceram

Da redação

A goiana de Poços de Caldas que mora em Mount Vernon (New York), Irene Garcia, procurou a redação do jornal Brazilian Times para denunciar mais um problema com envio de caixas para o Brasil. Desta vez, a empresa é a CT Trading USA, que tem sede em Waterbury (Connecticut). Segundo ela, cerca de 700 caixas foram coletadas, mas apenas 30% chegaram ao deu destino no Brasil. “Já faz um ano que enviei duas neste mesmo contêiner e não chegaram”, se revolta.

Garcia disse que já tentou de tudo para reaver os seus pertentes, mas sempre que liga na empresa tem uma desculpa diferente. “Uma hora as caixas estão aguardando um caminhão para ir buscar, outra hora estão esperando liberação na alfandega, outra hora o motorista esqueceu de carregá-la. Não sei ao certo qual a verdadeira história e se realmente eu ainda vou recuperá-las”, acrescenta.

Garcia relatou que fez várias ligações para a empresa no Brasil, mas que sempre obtinha uma informação diferente ficou revoltada a ponto de discutir com a atendente. “Há cerca de duas semanas liguei para o escritório da empresa em CT, mas outra vez me deram uma desculpa diferente e desta vez o rapaz disse que iria ligar para seu chefe em busca de notícias, pois achava que eu não veria mais meus pertences”, continua.

O prejuízo dela não foi tão grande, pois enviou duas caixas com roupas usadas e calçados que seriam distribuídos para a comunidade carente em Poços de Caldas (Goiás). “Mas tem pessoas que mandaram coisas valiosas e também perderam tudo”, afirma.

Ela citou o nome de mais duas pessoas próximas que também tiveram prejuízos com a CT Trading. Entre elas está o goiano conhecido por Bodão. A reportagem do BT entrou em contato com ele e durante a conversa, se mostrou indignado e sem esperança em recuperar as caixas. “Eu enviei 10 caixas e gastei cerca de 20 dólares entre os itens que comprei e as taxas cobradas pela empresa”, disse.

Bodão ressalta que abriu as caixas e mostrou para a pessoa que foi coletá-las em sua residência, em Danbury (CT), pois não estava enviando nada ilegal. “Entre os pertences tinham roupas para meus netos, parentes da minha esposa, duas bicicletas, uma gaiola de passarinho e mais alguns itens”, continua.

Ele conta que já ligou várias para o responsável pela empresa, mas que sempre é recebido com uma desculpa. Segundo relata ao BT, a empresa o informou que tem um escritório no Brasil tomando conta do problema e que tudo vai ser resolvido em breve. “Mas esta história já se arrastar por um ano e meio. Perdi as esperanças”, se revolta.

Bodão, que reside nos Estados Unidos há 30 anos, ressalta que já procurou o juizado de pequenas causas (Small claims), mas a pessoa que o atendeu disse que estava saturado de atender casos de brasileiros. “Ele disse que todo dia tem um membro da nossa comunidade envolvido em algum problema”, explica.

Tanto ele quanto Garcia se mostraram sem esperança de recuperar os pertences, inclusive o dinheiro pago à empresa CT Trading pelo envio das caixas. Bodão disse que se precisar, A reportagem do Brazilian Times tentou entrar em contato com a empresa, mas não obteve resposta. 

Fonte: Brazilian Times