Publicado em 16/09/2015 as 12:00am

Brasileiros se unem para ajudar brasileira em estado vegetativo

O cérebro da mineira Naime Vieira foi destruído por uma bactéria. Mãe quer levá-la para o Brasil para ficar perto dos parentes

Da redação

A situação da mineira Naime Vieira de Souza está cada vez mais delicada. Depois de descobrir tumores em sua cabeça que começaram afetar seus movimentos, a impossibilitando de trabalhar, ela fez uma cirurgia para removê-los, mas um permaneceu inoperável. Mas o pior aconteceu depois, quando o cérebro dela foi contaminado por bactérias vorazes que lhe causaram grandes danos.

Naime é natural de Joíma (Minas Gerais) e está com 49 anos de idade, dos quais mais de 25 reside em Arlington (Massachusetts). Ela está divorciada e tem um filho, o qual mantinha com os ganhos que obtinha fazendo faxina. Mas depois da doença, ela não pode mais trabalhar e vive em estado vegetativo.

Quando ela sentiu dores na cabeça, procurou ajuda médica e descobriu três tumores em seu cérebro, felizmente nenhum canceroso. Conforme explica a amiga Giovanna Lemos, os tumores já estavam grandes e ameaçavam a vida dela. “Eles precisavam ser removidos com urgência”, fala ressaltando que Naime decidiu fazer a cirurgia. “Mas depois vieram as bactérias e tudo piorou”, continua.

Atualmente o estado de saúde da mineira é delicado e ela respira com a ajuda de aparelhos, não consegue falar, se alimenta através de uma sonda e só consegue se sentar com a ajuda de alguém. Ela está internada no hospital desde o dia 02 de dezembro de 2013, cerca de um ano de nove meses. “Para piorar ainda mais, ela foi acometida por trombose e AVC”, disse Giovanna.

Depois que a mineira foi internada, a sua mãe, que tem 71 anos de idade, se mudou para os EUA com o objetivo de dar amparo à filha. “Ela é uma pessoa simples, que sempre se manteve através de costuras no Brasil. Ela não fala o idioma e foi diagnosticada de um câncer durante o tempo que está neste país”, acrescenta.

A mãe venceu a doença, mas está exausta e que levar a filha para o Brasil, mais especificamente para a cidade de Montes Claros, onde elas têm parentes e amigos que poderão ajudá-las. Em Massachusetts, ela disse que está muito depende de outras pessoas, tanto para se locomover ou para conversar com os médicos.

 

CAMPANHA

A campanha levantada visa angariar dinheiro e levar Naime para o Brasil. Mas os custos são caros, pois ela precisa traduzir oficialmente a documentação médica e só pode viajar acompanhada por um profissional de saúde especializado. Além disso, a viagem deve ser feita em primeira classe e com aparelhos médicos. Assim que chegar ao Brasil, uma ambulância UTI deve estar esperando para leva-la do aeroporto até Montes Claros, onde deve ter aparelhos equipamentos para manutenção de vida a disposição.

O valor almejado é de US$18 mil, que vai cobrir as despesas de três passagens aéreas de de primeira classe e outras despesas.

Como a família de Naime é bastante humilde e não tem como arcar com todas as despesas médicas e a compra de aparelhos, os organizadores da campanha pedem para que as pessoas possam doar qualquer quantia em dinheiro em uma conta aberta no Bank of America, em nome de Naime Vieira Silva de Souza, número 009452774147 e Routing number 011000138.

Quem está no Brasil também pode ajudar fazendo doações através de uma conta no Banco Itaú (341), em nome de Nadir Vieira Pereira Silva, agência 3157, Conta Corrente: 29015-0, Montes Claros. CPF: 557-331-076-34. “Contamos com a ajuda de todos e que Deus abençoe a cada um”, finaliza Giovanna.

Fonte: Brazilian Times