Publicado em 21/09/2015 as 12:00am

Brasileiras participam de marcha durante visita do Papa aos EUA

O evento, chamado de 100 mulheres, 100 milhas, trata-se de um grande grupo de mulheres que farão uma peregrinação começando em York, penitenciária da imigração (ICE Detention Center) em Pensilvânia, e terminando em Washington, DC

Da redação

No dia 15 de setembro, centenas de mulheres de todo o país - incluindo seis representantes do Centro do Trabalhador Brasileiro (CTB), em Massachusetts e Connecticut – iniciaram uma marcha nacional que tem como objetivo dar voz a trabalhadores imigrantes e inspirar o Congresso dos EUA a aprovar uma reforma imigratória ampla.

O evento, chamado de 100 mulheres, 100 milhas, trata-se de um grande grupo de mulheres que farão uma peregrinação começando em York, penitenciária  da imigração (ICE Detention Center) em Pensilvânia, e terminando em Washington, DC no Capitólio nacional no mesmo dia que o papa Francisco chega para tratar de assunto em comum com o Congresso em uma sessão conjunta.

No dia 23, a marcha chegará à Washington, onde o Papa se encontrará com o presidente Barack Obama, na Casa Branca. Em NY ele terá uma discursará nas Organizações das Nações Unidas (ONU) e participará de um serviço inter-religioso no Marco Zero, local do ataque de 11 de setembro de 2001 ao World Trade Center. Além disso, ele pretende se encontrar com imigrantes e seus filhos em uma escola no Harlem.

Ele passará os dois últimos dias da viagem na Filadélfia para encerrar o Encontro Mundial de Famílias, um evento católico internacional que acontece em uma cidade diferente a cada três anos.

A caminhada é organizada pela Aliança Nacional dos Trabalhadores Domésticos, e apoiada tanto pelo SEIU e o AFL-CIO.  “Ao fazer essa peregrinação de um lugar de prisão e sofrimento para aquele em que as pessoas têm o poder de mudar e criar leis, nos unimos para ampliar a esperança que vemos na mensagem do Papa Francisco, sobre refugiados e imigrantes, e seu alcance aos pobres, excluídos, o imigrante, o refugiado, e o órfão. Também queremos apoiar o seu desafio à consciência do Congresso dos EUA a ser mais positivo em reconhecer as importantes contribuições de imigrantes e refugiados para a América, para agir de forma construtiva, e para romper o impasse em torno da reforma da imigração. Nosso sistema está quebrado! Precisamos mudar isso, e criar um caminho para a cidadania para milhões de imigrantes que vivem atualmente nas sombras em nossa nação”, disse Natalícia Tracy, diretora-executiva do CTB.

Lenita Carmo do CTB de Boston explicou por que ela está caminhando desta forma: "Eu acredito que nós devemos superar o medo e nos fortalecer como mulheres. O Papa é um líder global e a migração é uma questão global. Espero que o Papa ouça nossas histórias e use seu poder para transmitir a nossa mensagem para ao Congresso".

Maria Lima do CTB de Bridgeport, Connecticut, descreveu como seus princípios mais básicos da vida estão trazendo-a para a caminhada. "Apesar de sofrer abuso, maus-tratos e humilhação, eu estou orgulhoso de ter me tornado uma pessoa de cabeça erguida e não permito que os obstáculos da vida me impeçam de seguir meu caminho. Estou orgulhoso do trabalho que temos feito e estou determinado a continuar a nossa viagem à dignidade, ao participar nesta peregrinação para ver o Papa".

Se você quiser saber mais sobre este evento, entre em contato com: Natalicia Tracy, Diretora Executiva do Centro do Trabalhador Brasileiro, 617-784-2857, ou ed@braziliancenter.org

Fonte: Brazilian Times