Publicado em 27/09/2015 as 12:00am

Rondoniense é preso acusado de estupro em Easton (MA)

Valdeir Ferreira foi indiciado pelo estupro de uma brasileira. A fiança foi estipulada no valor de US$100 mil

Da redação

O rondoniense Valdeir Ferreira, 42 anos, que mora em Easton (Massachusetts) foi preso no dia 17, por dirigir um veículo motorizado sem carteira de motorista. O problema é que depois que ele foi levado ao Tribunal Distrital de Taunton (MA), onde foi indiciado, também, por estupro e ameaças.

Segundo a denúncia, no dia 15 de setembro, um agente da Polícia de Easton observou um veículo, parado em um lado da Washington Street e começou a investiga-lo. Dentro do carro estava uma mulher de 28 anos de idade, que chorava muito e estava com o rosto inchado e machucado. Ela disse ao oficial que tinha acabado de ser estuprada.

A mulher, uma brasileira, foi levada para o Good Samaritan Hospital, por uma equipe do Corpo de Bombeiros de Easton. As investigações revelaram que a vítima foi contatada pela esposa de Valdeir, também e Rondônia, para a instalação de um serviço de televisão e internet, uma caixa que fornece sinal da Globo. Ela também é manicure. Conforme combinado, a mulher foi ao apartamento para realizar o serviço.

Segundo os investigadores foi lá que o crime aconteceu. A esposa de Ferreira não estava no local onde supostamente foi praticado o estupro. “Ferreira e a vítima não se conhecem”, informou uma nota da polícia.

Valdeir trabalha na área de construção civil e a esposa dele em limpeza. O Brazilian Times conversou com algumas pessoas que conhecem o rondoniense e todos estão chocados. “Eu não acredito que ele tenha feito isso. Estou assustada até agora, pois o conheço há algum tempo”, disse uma mulher que pediu para não ter o seu nome citado.

Através do Facebook, o Brazilian Times tentou conversar com a brasileira que alega ter sido estuprada, mas não obteve êxito. O nome dela não será revelado, pelo fato do crime se algo constrangedor e pode ainda mais abalar o emocional dela.

A fiança foi estipulada no valor de US$100.000,00. Os policiais alertam às pessoas para terem cuidado ao usar as mídias sociais.

Fonte: Brazilian Times