Publicado em 2/10/2015 as 12:00am

Comunidade se une para ajudar brasileiro preso pela imigração

Douglas foi preso na sexta-feira, dia 25 de setembro. Sua esposa e três filhas estão desesperadas

Luciano Sodré

Na sexta-feira, dia 25 de setembro, a vida do mineiro Douglas que compareceu a uma audiência de Imigração, na cidade de Burlington (Massachusetts) teve a sua vida completamente transformada. Ele, que entrou pela segunda vez nos Estados Unidos através da fronteira mexicana, foi preso e levado para um centro de detenção para imigrantes na cidade de Boston.

De imediato, Lindomar Oliveira, mais conhecido pelo apelido de Gustavo (homenagem ao tenista Guga), iniciou uma campanha para ajudar a família do brasileiro. Em uma entrevista ao Brazilian Times, ele contou a história do mineiro e relatou a emoção de ver a família dele desesperada e desamparada. “Eu os conheço há algum tempo e tive que fazer alguma coisa”, afirma.

Gustavo explica que há três anos o mineiro foi pego pela imigração e posteriormente deportado. Na época, a esposa dele (Douglas), Suelen Pereira, estava com quase nove meses de gravides. Sem se preocupar com a família, o brasileiro foi deportado e deixou para trás uma filha recém-nascida, uma de dois anos de idade e a mulher. “Mas como ela não teria meios de cuidar das filhas, decidimos realizar uma campanha para enviá-la ao Brasil e ficar perto do marido”, conta.

O tempo passou e três anos depois, a família decidiu retornar aos Estados Unidos, novamente pela fronteira mexicana. Mas o casal foi pego por agentes de imigração, juntamente com as três filhas, sendo duas com cidadania dos EUA e uma brasileira de 10 anos. Douglas foi liberado com uma carta para comparecer a uma audiência e a esposa ficou para trás com as crianças.

Suelen conseguiu enviar uma mensagem para Gustavo de que o marido estava a caminho de Boston e não tinha onde ficar. Como sempre se preocupou em ajudar as pessoas, ele não pensou duas vezes e ofereceu a sua casa como abrigo provisório até tudo se normalizar. “Ele estava com uma tornozeleira com GPS colocada pela imigração”, lembra.

Mas na sexta-feira, o mineiro foi à tal audiência e para sua infelicidade foi preso e levado para uma prisão de imigração. A esposa dele chegou logo depois com as filhas e ficou desesperada quando soube da história. Elas também ficaram na casa de Gustavo, mas através de uma campanha feita no Bazar Boston Novo, uma igreja cedeu um lugar, em Framingham (MA), para elas ficarem, sem a necessidade de pagar aluguel.

O problema maior é que Suelen também está com um sistema de GPS e, junto com sua filha de 10 anos, tem uma audiência nesta sexta, dia 02. “Ela teme ser presa também, pois suas filhas menores não terão com quem ficar neste país”, se emociona ao falar.

Mais uma vez, o lado solidário de Gustavo falou mais alto e ele iniciou uma nova campanha. Desta vez para arrecadar alimentos, roupas para as crianças e para Suelen, colchões, além de uma quantia em dinheiro que será destinada a ajudar nos custos de advogado, taxas judiciais e tratamento médico da filha mais tem um cisto no ovário.

Uma advogada, cujo o nome não foi revelado, se prontificou a ajudar e depois de analisar o caso, deu esperanças para Suelen, afirmando que as chances são grandes do brasileiro permanecer nos EUA. “Atualmente, o fato de ter filhos nascidos neste país, ajuda muito a vencer um processo de deportação e manter as famílias unidas”, disse.

Na primeira vez que morou nos EUA, Douglas trabalhou na área de construção civil e sua esposa em limpeza de casas. A família é natural da região de Ipatinga (Minas Gerais).

 

LADO SOLIDÁRIO

Indagado sobre o porque de estar ajudando a família, Gustavo afirmou que cada ato de amor que ele pratica o deixa mais feliz e com forças para viver. Há alguns anos, ele tem que tomar uma medicação todos os dias em razão de um câncer. “Por isso eu decidi que mesmo tendo mil motivo para chorar, se eu encontrar um motivo para sorrir, farei deste maior que os outros e sorrirei sempre”, disse. “Nada me fará desistir de viver e amar o próximo”, continua.

 

CAMPANHA

As pessoas que desejarem ajudar a família a levantar dinheiro para pagar as despesas advocatícias e o tratamento da menina mais nova, podem acessar www.gofundme.com/jesus-love-help. Quem quiser fazer uma doação pessoalmente pode procurar o local de trabalho de Gustavo, localizado no 113 Concord Street, em Framingham (uma loja especializada em cable e internet). Mais informações também podem ser obtidas através do telefone (508) 371-0088, com Suelen Pereira, e mensagens podem ser enviadas para (857) 265-6960, com Gustavo.

Fonte: Brazilian Times

Top News