Publicado em 7/10/2015 as 12:00am

Prisão de brasileiro revela esquema de tráfico de pessoas pelas Bahamas

A quadrilha tinha como destino um cais em North Miami Beach e tinha como clientes brasileiros e chineses

Da redação

Um barco estava no cais em North Miami Beach e teve a sua viagem de volta para as Bahamas frustrada. Isso porque agentes federais prenderam um homem do sul da Florida que supostamente estaria envolvido em um esquema brasileiro para traficar imigrantes para os Estados Unidos.

Mauricio Paim de Sá foi preso recentemente através de uma operação coordenada por agentes especiais do Homeland Security Investigations (HSI), e que conseguiu todos os detalhes do esquema que envolve cúmplices nas Bahamas e no Brasil.

O caso, que está agora no Tribunal Federal de Miami, é similar a um que aconteceu em 2012, quando agentes federais prenderam um casal brasileiro no sul da Florida por conexão com um sofisticado esquema de tráfico de pessoas responsável pelo contrabando de muitos brasileiros para os EUA, através das Bahamas.

Este (2012) envolvia viagens de avião do Brasil para a Europa e depois para as Bahamas, onde os brasileiros eram colocados em barcos para enfrentar uma longa viagem aos EUA.

Segundo as investigações, no dia 19 de agosto Maurício entrou em contato com um agente do governo disfarçado. Na ocasião, ele disse que procurava uma pessoa que pudesse arrumar um barco e um capitão para conduzir um barco e viajar às Bahamas e contrabandear imigrantes para o sul da Florida.

Seis dias depois, vigiado por agentes do HSI, o brasileiro se encontrou com o informante em um restaurante no canal Intracoastal Waterway. O agente disfarçado mostrou para Maurício um barco que seria utilizado para o tráfico de pessoas. Os dois discutiram detalhes da travessia.

Sem saber que se tratava de um agente do governo, o brasileiro o orientou a viajar para as Bahamas e pegar 19 imigrantes (12 brasileiros e 7 chineses). O valor cobrado por eles seria de US$ 6 mil por cada um. Segundo documentos judiciais, o acusado afirmou que teria outras viagens para fazer, com barcos que teriam até 20 pessoas e seguiriam um atrás do outro.

Segundo as autoridades, Maurício tem outros comparsas, tanto no Brasil quanto nas Bahamas. Ele teve a fiança estipulada em US$100 mil e alega inocência. Caso seja condenado, o brasileiro poderá pegar até 10 anos de prisão.

Fonte: Brazilian Times

Top News