Publicado em 16/10/2015 as 12:00am

Victor Medeiros pede ajuda para representar Brasil em Las Vegas

Em entrevista exclusiva para o jornal Brazilian Times, o atleta catarinense fala um pouco sobre a sua trajetória e as dificuldades que enfrenta para conseguir apoio.

Stael de Melo

Victor Medeiros, natural de Criciúma, tem 23 anos, cursa o último ano de Educação Física na universidade Facvest, na cidade de Lages-SC. Apaixonado por videogames como a maioria dos adolescentes, começou a ter problemas de postura. Orientados pelo médico da família, Victor começou a fazer academia, aos 18 anos de idade, onde conheceu dois atletas que participavam de competições nacionais.

Treinando praticamente todos os dias, de repente percebeu que era aquilo que mais gostava de fazer. Por sorte ou destino, ele foi convidado para participar de um evento catarinense, onde foi campeão no supino RAW. 

Assim começou com participações e campeonatos brasileiros e sul-americanos, conquistando vários títulos, várias confederações (IPF, WABDL e IPO).

Em novembro do ano de 2012, Victor foi convocado a participar do mundial, em Cordoba, na Argentina, onde conseguiu seu primeiro mundial, novamente campeão no supino RAW, na categoria sub júnior, até 90 kg.

Desde então as coisas foram acontecendo e ele conquistando o seu espaço. No ano seguinte, teve uma bela participação em São Paulo, o que lhe rendeu mais dois títulos.

O atleta disputou a competição em Las Vegas, no ano passado, onde se consagrou como um dos grandes nomes da modalidade em todo o mundo. Esse tipo de esporte exige força de praticamente em todos os músculos, pernas, braços, costas, a lombar e as mãos. Exige também a determinação, foco, disciplina, confiança e concentração.

Victor embarca dia 15 de novembro novamente rumo a Las Vegas para brigar por mais um título.  

O que mais dificulta no Brasil, segundo ele, é a falta de apoio das empresas e do setor público. O pai, João Medeiros, conta que por várias vezes foi obrigado a desfazer de bens da família para manter o filho estudando, treinando e competindo. “Sempre lutamos com dificuldade e contando com a ajuda de alguns amigos e temos vencido”, disse.

Para essa temporada, em Las Vegas, no próximo mês, foi colocado a venda de um dos troféus que ele ganhou o ano passado. Victor treina duas horas todos os dias, trabalha meio período e cursa universidade no período da noite. Ele confessa que o amor ao esporte é maior que todas as barreiras que tem enfrentado.

O pai pede ajuda para os empresários que vivem nos Estados Unidos. “Gostaria muito que vocês estivessem junto com meu filho no próximo mundial, representando o Brasil e desde já agradeço”, finaliza.  

Para mais informações:

e-mail:  joao60medeiros@gmail.com

Telefone: 049 32265793

Fonte: Brazilian Times