Publicado em 19/10/2015 as 12:00am

Coprodução brasileira com direito a 'red carpet' nos EUA

'S.O.S. Mulheres ao Mar 2', coproduzido pela Universal Pictures, foi lançado em Orlando antes de chegar por aqui: estreia será nesta terça

Da redação

O cenário era inusitado: tapete vermelho para o lançamento de filme brasileiro ('S.O.S. Mulheres ao Mar 2') num cinema de Orlando (EUA), durante o feriado de descoberta da América — segunda-feira passada (12) . Pergunto à diretora Cris D’Amato qual o significado de lançar o filme (estreia no Brasil nesta terça-feira, 21) nos Estados Unidos?

Ela está feliz, especialmente por ter a Universal Pictures International como coprodutora, o que proporcionou o lançamento em Orlando — um dos cenários do longa. “Nunca pensei nisso; é bom, mais amo o Brasil; aqui é uma etapa a se cumprir até a estreia no meu país”.

Elogio a capacidade de Fabiula Nascimento ao fazer humor como espécie de subtexto e ela gosta: “Quando a intenção não é fazer comédia fica mais engraçado. Aposto nas tiradas engraçadas, na ironia, penso no humor sem ser humor”. Garante que o trabalho não modifica em nada se o filme é baixo orçamento ou superprodução. “Minha entrega é a mesma, não importa se eu trabalho de graça ou ganho milhões”.

Giovanna Antonelli diz que nada tem a ver com Adriana, a ciumenta protagonista. “Jamais fiz loucuras por amor, mas adoro a personagem por causa do temperamento dela”.

Thalita Carauta se considera atriz e não comediante, mas não teme ficar marcada pelo humor. No filme, diz, o mais importante foi o espaço dado individualmente para as três atrizes e avisa que tem projetos encaminhados nos quais não trabalha com humor, como no drama 'O Lobo Atrás da Porta' (Fernando Coimbra, 2014).

Gil Coelho, que vive garoto apaixonado por Adriana, reforça a impressão de que as filmagens foram umas férias. “A gente se divertiu muito, todo mundo me recebeu de braços abertos”.

Fonte: Brazilian Times

Top News