Publicado em 23/10/2015 as 12:00am

Conheça o dublê brasileiro que faz sucesso na Disney

Ele é piloto exclusivo do show Lights, Motors, Action! Extreme Stunt Show, do parque Disney's Hollywood Studios

O dia-a-dia do paulistano Eduardo Marques, 38 anos, não é nem um pouco monótono. Todos os dias, ele salta de carro sobre caminhões ou de cima de prédios, dirige no meio de incêndios e anda apoiado sobre duas rodas.

Seus saltos já chegaram a mais de 3 metros de altura. Ele é piloto exclusivo do show Lights, Motors, Action! Extreme Stunt Show, do parque Disney's Hollywood Studios, em Orlando (EUA).

O espetáculo conta com acrobacias em carros, motos e jet-skis, em um palco de 16 000 metros quadrados.

Com 18 anos de pilotagem profissional, Marques registra a marca de 520 apresentações por ano (na média, são dez por semana). E nunca sofreu acidente nas apresentações.

"A segurança aqui é prioridade. E sempre temos tudo do melhor", diz o piloto, que comanda carros com 180 cv feitos especialmente para o show.

"Motor e câmbio são pre¬parados para garantir a durabilidade e a melhor distribuição de peso no carro. Nas manobras, usamos um freio de mão hidráulico para ajudar."

A paixão pela velocidade acompanha Marques desde a infância. "Meu pai me levava para assistir a várias corridas em Interlagos e me encantei pelo automobilismo", conta o piloto.

Sua primeira oportunidade profissional aconteceu aos 18 anos. "Para participar do Campeonato Paulista de Turismo Especial, meus pais venderam um veículo para viabilizar a compra do meu primeiro carro de corrida", diz.

Após uma curta experiência em torneios paulistas, Marques foi convidado para testar os Fórmulas Ford nos EUA. "Depois comecei a atuar como dublê de filmes de ação e também como piloto profissional para marcas como Ferrari, Lexus e Honda."

Toda essa experiência com máquinas velozes garantiu a Marques o convite para atuar como piloto no espetáculo da Disney. Depois de algum tempo, foi promovido a gerente da atração.

"Mas, assim que assumi, pedi para continuar atuando como piloto. Afinal, a adrenalina de acelerar é o que me move. Não podia abandonar isso."

Fonte: exame.com