Publicado em 26/10/2015 as 12:00am

Brasileira desaparecida é encontrada na Filadélfia

Os familiares de Nirta Justina da Silva agradeceram a comunidade pelo apoio e carinho durante o período de busca

Nirta Justina da Silva, de 38 anos, foi encontrada na noite de quarta-feira (21) nos arredores da estação de trens na Avenida Frankfort, na Filadélfia (PA) 

Na quarta-feira (21), Nirta Justina da Silva, de 38 anos, natural de Mina Gerais, moradora na região “Northeast” da Filadélfia (PA), que sofreu um surto psicótico na sexta-feira (16) e fugiu no sábado (17) da casa de uma amiga, foi encontrada. Após vários dias de agonia, a internauta Clélia Peixoto postou em sua página no Facebook que Nirta havia sido localizada na noite de quarta-feira (21), nas imediações da estação de trens na Avenida Frankfort, na mesma cidade. A informação foi confirmada na manhã de quinta-feira (22) por Marli Ferreira, amiga da família da desaparecida.

Na tarde de quarta-feira (21), a equipe de reportagem do BV conversou, via telefone, com Marli. Ela detalhou que foi à casa da amiga, que mora na mesma área da cidade, a pedidos de parentes de Silva que residem em New Jersey e Filadélfia, pois ela não mantinha contato com eles há vários dias. Ao chegar ao local, Marli encontrou Nirta aparentemente desorientada, citando passagens bíblicas e dizendo que estava sendo perseguida. Então, ela levou a amiga e seus dois filhos, de 2 e 5 anos, para sua casa até a chegada dos parentes que, então, decidiriam o que fazer. Entretanto, aproximadamente às 3:00 pm de sábado (17), depois do almoço, Nirta começou a andar na sala de um lado para o outro, pegou a bolsa e disse que queria ir embora. Momentos depois, ela foi para um quarto da casa e fugiu pela janela. Na fuga, ela trajava calças jeans, uma camiseta branca com listras azul e laranja e tênis colorido. Imediatamente, seus parentes foram comunicados e a polícia foi acionada, mas as autoridades da Filadélfia informaram que, como Silva era maior de idade e não tinha cometido nenhum crime, os policiais não podiam procurar por ela. Com a insistência da família, foi preenchido um boletim de ocorrências (Police report) na noite de sábado e na terça-feira (20) a polícia ligou perguntando se Nirta havia voltado para casa.

Enquanto estava desaparecida, amigos e parentes de Nirta a procuraram em parques, hospitais, abrigos, pontos de ônibus e estações de trem. Marli detalhou que policiais a encontraram na estação de trens da Avenida Frankfort e, posteriormente, a levaram à delegacia local, onde ela foi identificada. Atualmente, ela está internada em um hospital psiquiátrico na Filadélfia e seus parentes poderão visita-la daqui a 3 dias. Os familiares de Nirta agradeceram a comunidade pelo apoio e carinho durante o período de busca.

. Surto psicótico:

Os motivos que levam a um surto psicótico são diversos e podem variar de pessoa para pessoa. O que é comum entre os surtos é o fato de serem “a gota d’água”. A crise se origina em pessoas que já possuem certa fragilidade psicológica, ou seja, é algo que vai crescendo. Muitas vezes começa de forma incipiente e vai se intensificando até que finalmente leva a pessoa a surtar.

Psicoses como a esquizofrenia, abusos de drogas, crises de abstinência de substâncias e alguns transtornos afetivos como a bipolaridade (antigo transtorno maníaco-depressivo) são causas bastante comuns de surtos. Existem, porém circunstâncias pontuais que desencadeiam a crise em pessoas as quais aparentemente não seriam um alvo óbvio. Fatos marcantes, como a morte de um ente querido, distúrbios de estresse pós-traumático e mudanças de rotina abruptas podem levar uma pessoa a “psicotizar”.

O surto pode atingir qualquer pessoa, sem distinção de idade, sexo e grupo social, basta que se tenha uma estrutura psíquica predisposta a isso. Existem, entretanto, grupos de risco, fases na vida em que há maiores chances de entrar em crise. O final da adolescência e o início da idade adulta são fases mais propícias porque certas doenças mentais irrompem tipicamente nesta idade, como a esquizofrenia cujos sintomas se manifestam (nos rapazes) entre os 15 e 20 anos. Nestas fases são típicas grandes mudanças na vida como ir morar sozinho, mudar de cidade, servir no quartel, começar a trabalhar. Nestes casos, se a pessoa é psicologicamente mais frágil, pode haver um surto psicótico.

Fonte: BV