Publicado em 16/11/2015 as 12:00am

Brasileira é condenada por prostituição em Everett

Tânia conseguiu se inocentar da acusação de tráfico sexual, mas os promotores pretendem acusá-la novamente

Uma mulher que mora em Quincy foi condenada por duas acusações de envolvimento com prostituição enquanto conseguiu escapar da mais grave que é “tráfico sexual”. A acusada é a brasileira Tânia Cipriano, 46 anos, que foi sentenciada a dois anos de prisão durante uma audiência realizada na quinta-feira (12), no Tribunal Superior do Middlesex.

O juiz Robert Gordon determinou também que seja descontado os 463 dias que ela passou atrás das grades, desde a sua prisão em agosto de 2014. Isso significa que a pena vai ser reduzida para menos de um ano.

A acusação de tráfico sexual foi retirada pelo Ministério Público, mas o órgão reservou-se no direito de apresentar novamente a denúncia mais tarde.

Antes de sua prisão, os promotores afirmavam que Tânia dirigia um salão de massagens sem licença, na cidade de Everett (Massachusetts). O local, segundo denúncias, servia como ponto para a prática da prostituição.

Os promotores também afirmavam que as massagistas realizavam atos sexuais nos clientes enquanto Tânia comandavam todas as operações do dia-a-dia, incluindo o recrutamento de mulheres, agendamento de compromissos com clientes e gestão do dinheiro.

Quando a polícia invadiu o apartamento dela em Everett, onde a sala de estar foi transformada em uma casa de massagem, eles disseram que encontraram preservativos e notebooks com nomes, números de telefone e horários de consulta. Os promotores alegaram, ainda, que Tânia também postou anúncios em sites frequentados por homens à procura de serviços sexuais.

Fonte: Brazilian Times