Publicado em 17/11/2015 as 12:00am

Blitz realiza cinco shows nos EUA

Uma das bandas mais conhecidas e respeitadas do Brasil, fará uma turnê em terras norte-americanas

A Blitz, uma das mais tradicionais bandas de rock brasileiro, pode ser considerada a precursoras do chamado "BRock". O grupo foi formado no Rio de Janeiro e era integrado por Evandro Mesquita (guitarra e voz), Fernanda Abreu (backing vocal), Márcia Bulcão (backing vocal), Ricardo Barreto (guitarra), Antônio Pedro Fortuna (baixo), William "Billy" Forghieri (teclados) e Lobão (depois substituído por Juba) na bateria.

Em 1982, o primeiro compacto, "Você Não Soube Me Amar" (cuja música de mesmo nome fora incluída na trilha sonora da novela Sol de Verão), alcançou um sucesso estrondoso, logo seguido pelo álbum "As Aventuras da Blitz", consolidando a banda como fenômeno de massa.

Em 1984 a Rede Globo leva ao ar o musical "Blitz contra o Gênio do Mal", representado por Oswaldo Loureiro (Kid Babalu, o Gênio do Mal) e com Patricya Travassos (Rapsódia Blue, comparsa de Kid Babalu). Nesse musical são executadas algumas músicas dos primeiros dois discos da banda.

Em 1994 teve sua música "Mais uma de amor (geme geme)" como tema da novela A Viagem, da personagem interpretada por Fernanda Rodrigues. Em 1997, alguns ex-integrantes se reuniram e gravaram o CD "Línguas" e, em 1999, veio outro, intitulado “Últimas Notícias”. Recentemente a banda lançou o álbum o "Eskute Blitz".

O vocalista Evandro Mesquita falou sobre as expectativas de se apresentar nos Estados Unidos e prometeu agitar o público. Veja a entrevista feita com ele:

 

Como está a expectativa para os shows?

Estamos superanimados. Em setembro tivemos problemas com os vistos, mas agora tudo foi resolvido e queremos muito mostrar o show desses mais de 30 anos de estrada aos amigos brasileiros e americanos.

 

Miami e Orlando são as cidades americanas na Flórida que normalmente recebem shows brasileiros. Será a primeira vez que a cidade de Jacksonville receberá um show brasileiro. Como surgiu a ideia de levar o show para essa cidade?

Pois é, foi através do Instagram, a @ritatavares mandou mensagem dizendo da intenção de trazer a Blitz para Jacksonville. Tentamos tanto que agora conseguimos. Vamos matar a saudade e com muito prazer, mostrar que música boa não tem prazo de validade!

 

Blitz fez parte da história de muita gente que há anos imigraram para os Estados Unidos. Ir ao show da Blitz para essas pessoas será mais que ter contato com música brasileira, e sim ter contato com uma época importante e saudosa. O que esse público pode esperar do show?

Exatamente. A Blitz arrombou as portas das gravadoras e mudou o panorama das rádios, numa época de ditadura e censura. Levamos o humor e uma poesia de rua, com mensagens nas entrelinhas pra galera do underground da onde viemos. Conquistamos um espaço importante e tivemos voz e vez no mercado fonográfico brasileiro. E abrimos espaço para várias bandas de sotaques diferentes em vários estados do Brasil. O público pode esperar uma noite de celebração e festa, com músicas que conquistaram várias gerações com a pegada teatral e suingado da Blitz. Uma noite de alto astral e boas vibrações para dançarmos e cantarmos apaixonadamente.

 

Blitz faz mais 30 anos de sucesso e continua com uma agenda de shows pelo Brasil inteiro, qual o segredo disso tudo?

É o prazer de estar na estrada fazendo música. Armando o circo em cada cidade. Descobrir novos lugares. Encontrar brasileiros e estrangeiros pelo mundo.

 

Vocês tocaram no Rock in Rio. Fale um pouco desse show:

Participamos do primeiro em 1985. Uma apresentação para 250 mil pessoas. A nova música brasileira chegava a "maior idade" e pisava no mesmo palco de nomes como Rod Stwuart, Yes, B'52, James Taylor, AC DC, Iron Made, Nina Hagen, Queen entre outros. Essas duas apresentações ficaram tatuadas na nossa alma. E agora foi emocionante voltar, 30 anos depois e ter o carinho e reconhecimento do público.

 

Essa não é a primeira turnê internacional. Onde e como foram as outras experiências?

Em 85 tocamos num festival em Moscou. Fizemos shows na Argentina, Portugal, EUA. Tocamos no Japão, um ano depois da Tisuname e no dia do show eu acordei emocionado de estar do outro lado do mundo tocando músicas que ainda estão presente nas boas lembranças das pessoas. Nesse dia, fiz uma "carta" diferente na música “A Dois Passos Do Paraíso” é pedi para a intérprete traduzir. Durante o show eu disse mais ou menos assim “queria dedicar aos irmãos brasileiros que deixaram o país atrás de um sonho, que admirava a coragem e torcia por eles” e a interprete traduzia para o japonês com a banda tocando de fundo. A plateia delirava e eu continuava dizendo: que o Japão já tinha ensinado ao mundo tantas vezes como dar essa volta por cima, etc, etc, e ela traduzia. As pessoas vibravam e começaram a chorar emocionadas e nós também. Foi bonito e inesquecível.

"A dois passos do Paraíso" e "Você não soube me amar" são as músicas mais tocadas da Blitz?

Junto com Weekend, Beth Frígida, Geme Geme, O romance da universitária otária, Ego TRIP, entre outras.

 

Como foi a composição dessas músicas?

As primeiras foram em volta de fogueiras com violões, amigos, gatas e tudo dos anos setenta. Depois nos quartos dos hotéis e ônibus durante as turnês. Cada uma tem uma história e uma motivação que inspirou a canção. Misturamos tudo de Moreira da Silva, Jorge Benjor, Caetano, Gil, Mutantes, Novos Baianos, Bob Dylan, Marley, Zeppelin, Stones, etc jogamos tudo no liquidificador e sai um som com personalidade própria que é a cara da Blitz.

 

Atualmente, quais os sucessos do Blitz mais pedidos no show?

Esses citados acima e mais: Dali de Salvador, Biquíni de bolinha amarelinho, Adão e Eva, de manhã e outras.

 

Os shows nos Estados Unidos foram cancelados duas vezes, por quê?

A primeira vez, houve uma invasão de hacker chinês que entrou no computador de todos os consulados dos EUA, no mundo todo. A segunda vez, nosso empresário estava no consulado recebendo os Vistos de trabalho, quando a impressora matriz parou de imprimir, ficando faltando vistos para três integrantes da banda, o baterista, o baixista e um técnico. Estávamos todos de malas prontas para ir para o aeroporto e ficamos muito frustrados e tristes.

 

Deixe uma mensagem para os leitores deste jornal:

Mensagem boa de final de ano é Feliz Natal e Próspero Ano Novo (risos). Torcendo por melhores notícias nos jornais e que nosso país passe para uma fase onde as pessoas do bem tenham mais ousadia que os canalhas que estão no poder.

 

Deixe um recado para os leitores:

Quero vê-los nos shows, matar a saudade de quem já viu e surpreender quem nunca viu. A primeira Blitz ninguém esquece. E filosofia de jogo é: Enquanto houver bambu... Tem flecha! “I'll see You soon”

 

A banda Blitz vai se apresentar no dia 18 em Jacksonville (Florida), dia 19 em Orlando (Florida), dia 20 em Miami (Florida), dia 21 em Mount Vernon (New York) e dia 22 em Lowell (Massachusetts).

Para mais informações, ligue (954) 708-4884, (954) 254-2663 ou (978) 305-0883.

Fonte: BRAZILIAN TIMES