Publicado em 9/12/2015 as 12:00am

Café colonial em Everett (MA) ajuda brasileirinho com paralisia cerebral

O objetivo é comprar uma cadeira de rodas especial para Yan Pereira, a qual será feita sob medida e suprirá algumas necessidades do garoto

Aconteceu na tarde de domingo (06), em Everett (Massachusetts) um evento beneficente em prol do menino Yan Pereira, 11 anos. Um problema no parto do garoto acabou ocasionando uma paralisia cerebral, o que afetou diretamente seu desenvolvimento. Para tentar mudar suas condições de vida e garantir um futuro mais digno para Yan, Josiela Borges Pereira, 35, com apoio da família e amigos conseguiu trazê-lo para os Estados Unidos e há um pouco mais de mês e está morando em Lowell (Massachusetts).

A mãe acredita que neste país o filho vai receber os tratamentos adequados para a reabilitação neurológica e poderá contar com o apoio da comunidade, “que é bastante solidária em casos como este”.

Segundo ela, "os médicos chamam a doença de plasticidade cerebral”. Até os 13 anos e meio, os portadores dela mostram reações mais expressivas. “Não podemos mais perder tempo. Estou abraçando esta oportunidade de curar o meu filho”, fala.

Além de caminhar ou ao menos conseguir se movimentar com apoio de um andador, a expectativa é de que com o tratamento o garoto consiga falar algumas palavras e até formar frases. "Ele entende o que falamos, mas não consegue se comunicar conosco. Isso é muito difícil, pois se ele sente dor não consegue nos dizer onde é. Em Massachusetts, na escola em que vai fazer o tratamento, oferecer acesso a um tablete adaptado e quem sabe consiga se expressar para a família", afirma.

O café colonial foi servido com comidas típicas do Sul do Brasil, como sagu, cuca, bolos, queijos e outras iguarias. Durante o evento também aconteceu um bingo. As pessoas que foram, colaboraram com US$20.00. A princípio, o menino precisa de uma cadeira de rodas especial que custa US$6 mil. Ela é feita sob medida e possui um suporte para a alimentação e o oxigênio auxiliar que o garoto precisa.

Márcia Pretto, uma das organizadoras conversou com a redação do Brazilian Times e falou como aconteceu o café. Segundo ela, Jean Pillon e a Dra. Roberta a convidaram para fazer o evento que teve como finalidade levantar dinheiro para a compra da cadeira de rodas. “Quando me encontrei com eles, não tinham noção do que fazer (pensaram em baile anos 80, rifa, etc). Foi então que eu dei a sugestão de um café colonial, pois já tinha feito no ano passado e este ano o cederia para esta causa nobre”, explica.

Pretto destaca que o evento foi bem aceito pela comunidade e três dias antes não havia mais ingressos para serem vendidos. Os organizadores ainda não se reuniram para avaliar quanto foi o lucro da festa, cujo dinheiro será revertido para o menino Yan. “Temos que pagar o aluguel do clube e alguns pequenos gastos. Só depois disso saberemos quanto sobrará para ele”, disse.

APOIO: Todas as comidas do café foram doadas por amigos, empresários e comércios brasileiros, entre eles JC Market, Douglas Silveira da padaria, Santas Café, restaurante Oliveira's de Everett, Brazil Grill de Brockton e outros. Márcia também destaca apoio de algumas pessoas que foram muito importante: Pedro Pretto, Eliana Ghessi, Jean Pillon, Dra. Roberta Teixeira, Ju Cavalcanti, Beto Doido, Mauro Macedo e Fernando Araújo.

 

CAMPANHA

Para quem quiser ajudar a família e o tratamento do menino, Josiela abriu uma conta no site Go Fund Me onde espera conseguir $15 mil. O endereço para fazer as doações é https://goo.gl/Oa87YK.  Quem quiser mais informações ou fazer uma doação pessoalmente é só ligar para a mãe de Yan, no telefone (978) 328-6922.

Fonte: Luciano Sodré

Top News