Publicado em 17/12/2015 as 12:00am

Mais um presidenciável republicano quer "deportação em massa"

Após evitar o assunto várias vezes, o candidato presidencial republicano revelou opor à legalização do status dos 11 milhões de indocumentados nos EUA

Pelo que tudo indica, se um candidato republicano vencer as eleições presidenciais nos Estados Unidos, a vida dos imigrantes poderá virar um inferno. Isso porque na terça-feira (15), o senador republicano Ted Cruz manifestou sua opinião sobre o assunto e disse que é contra a legalização dos 11 milhões de indocumentados que vivem no país. Em seu pronunciamento, ele mostrou uma posição radical em relação ao tema polêmico.

Diversas vezes, Cruz desviou-se da questão sobre o que fazer com os indocumentados que já vivem no país, alegando que a fronteira com o México deve ser segura antes de resolver o problema. Um plano sobre o que fazer com os indocumentados não foi citado na proposta que o candidato presidencial republicano revelou em novembro.

Até o momento, esse foi o comentário mais profundo sobre o assunto feito por ele em decorrência de um debate com o Senador Marco Rubio (R-FL), com quem ele confrontou diversas vezes sempre que o assunto é imigração. “Eu nunca apoiei a legalização e não pretendo apoiar a legalização”, disse Cruz, filho de imigrantes cubanos.

O chefe de campanha eleitoral de Cruz, Chad Sweet, disse a repórteres após o debate que ele “sem sombra de dúvidas” se opõe à legalização dos imigrantes indocumentados.

Numa entrevista à rede de notícias CNN, Cruz disse que “cumpriria a lei” e primeiramente deportaria os criminosos indocumentados. A lei de imigração, disse ele, “determina que se alguém está aqui ilegalmente e é detido, esse indivíduo deve ser mandado de volta ao seu país de origem”.

Quando perguntado sobre o cumprimento das leis, Sweet respondeu que a campanha apoia a “fricção através do cumprimento”, o que alguns grupos defensores dos latinos traduzem como “autodeportação”, ou seja, tornar a vida tão difícil para os indocumentados que eles retornem por vontade própria aos seus países de origem. O também republicano Mitt Romney também apoiou a “autodeportação” quando era candidato presidencial em 2012.

A posição de Cruz com relação à imigração mudou radicalmente nos últimos anos. Ele, que se considera o “defensor chefe da imigração legal”, já apoiou dobrar o número de “Green Cards” e quintuplicar a emissão dos vistos para os profissionais altamente qualificados, o H1-B. Atualmente, Cruz defende o limite na imigração legal e a suspensão temporária do programa H1-B, que vem sendo assolado com denúncias de abusos. Esse mês, ele apresentou um projeto de lei que visa reformá-lo.

Fonte: braziliantimes.com