Publicado em 5/01/2016 as 12:00am

Brasileira nascida na Florida lança site de relacionamento de homens ricos e mulheres "ambiciosas"

O site tem como intuito unir mulheres "que querem ser mimadas" a homens ricos dispostos a patrocinar suas namoradas

A internet não se cansa de produzir serviços e ferramentas que ampliam o leque de possibilidades para muito além da imaginação. Um dos sites mais recentes abraça essa polêmica sem pudor e convida mulheres "que querem ser mimadas", conhecidas como Sugar Babies, para encontrar ricaços dispostos a patrocinar as namoradas jovens e bonitas, os Sugar Daddies. Além de ingredientes de sobra para uma discussão sem fim a respeito do machismo acerca do site, a página angaria cada vez mais usuários.

O site já reúne 12 mil cadastrados — 9 mil deles são garotas. São Paulo lidera a lista de estados com maior número de inscritos (4 mil), seguido por Rio de Janeiro (1,5 mil), Minas Gerais (1,1 mil) e Rio Grande do Sul (826).

Brasília aparece na sétima posição, com 519 usuários (4% do total). A renda média autodeclarada dos homens ricos do DF, segundo dados do próprio portal, é de R$ 37 mil mensais, enquanto o patrimônio médio é de R$ 6,3 milhões. A média nacional é de um homem para cada quatro mulheres.

O objetivo do site, descrito na apresentação, é proporcionar “às pessoas formas de relacionamentos honestos, que são transparentes e equilibrados desde o início”, e ajudá-las a encontrar “relacionamentos que sejam mutuamente benéficos, felizes e gratificantes, onde as expectativas são sempre atendidas”.

A criadora do site é Jennifer Lobo, 28 anos, que nasceu em Orlando, Flórida, mas é filha de brasileiros. Jennifer deixou os Estados Unidos há três anos para viver em São Paulo. “Eu tinha contato com esse tipo de site quando trabalhei em Nova York. Quando vim para o Brasil, pensei: ‘Não tem nada disso por aqui’”, lembra Jennifer ao Correio.

"Fornecemos um ambiente onde homens e mulheres podem ser completamente transparentes e honestos sobre o que buscam e o querem em um relacionamento, inclusive sobre aspectos financeiros, que geralmente é um assunto tabu na nossa sociedade", disse Jennifer.

O próximo passo da página é inaugurar o serviço para Sugar Mamas, mulheres mais velhas dispostas a bancar os luxos de namorados jovens. “Muita gente tem pedido por isso”, conta a fundadora. “Mas, por enquanto, vamos focar no produto atual.”

Como funciona

A assinatura contempla dois tipos de usuários: O sugar daddy e a sugar baby — termos populares nos EUA. O primeiro é voltado para homens bem-sucedidos, normalmente entre 30 e 60 anos de idade, que procuram por mulheres novas e atraentes. O perfil para sugar babies, por sua vez, tem objetivo de atrair jovens em busca de parceiro que banque seus luxos.

Para os homens, o cadastro é pago: R$ 169 até o fim deste mês. A partir de fevereiro, a taxa subirá para R$ 199. Para sugar babies, porém, a inscrição é gratuita. Todos os perfis são aprovados manualmente e, por isso, é normal existir uma fila de espera.

Fonte: braziliantimes.com