Publicado em 8/01/2016 as 12:00am

Ativistas protestam contra batidas da imigração

Em Massachusetts, ativistas que consideravam o presidente Obama como um aliado, buscam respostas por prisões e deportações de pais e filhos.

Na quarta-feira, dia 06, um grupo de 150 pessoas segurando cartazes e velas, participaram de uma vigília em frente a State House, na cidade de Boston (Massachusetts). O objetivo era protestar contra as ações impetradas pelo Departamento de Imigração no início do ano.

As pessoas gritavam por justiça e pediam que os agentes de imigração não separem as famílias. Isso porque o Immigration and Customs Enforcement (ICE) iniciou uma série de batidas em busca de imigrantes com ordem de deportação e outros que se encaixam em parâmetros estabelecidos pela agência.

Diante do medo que se instaurou na comunidade, os ativistas resolveram agir para acalmar as pessoas. A Massachusetts Immigrant and Refugee Advocacy Coalition prevê a realização de teleconferências em inglês e espanhol para ajudar os imigrantes. A organização criou uma “hot line” para que as pessoas possam relatar quaisquer ataques.

A partir desta sexta-feira, dia 08, em Boston, os defensores planejam fóruns para educar os imigrantes sobre os seus direitos em caso de uma batida da imigração.

A diretora-executiva do Centro Presente, Patrícia Montes disse que a maioria dos imigrantes que são alvos destas batidas é de Honduras e El Salvador, regiões que registram os mais altos índices de violência no mundo. "Então os EUA deportarão pessoas para zonas de morte?", indagou. "Eu não entendo", continuou.

Em Massachusetts, ativistas que consideravam o presidente Obama como um aliado, buscam respostas por prisões e deportações de pais e filhos.

Obama tinha prometido para lutar pela questão da imigração em seu primeiro ano de mandato, mas seus esforços foram em grande parte esmagados. Embora ele concedeu autorizações de trabalho, em 2012, para imigrantes trazidos quando eram crianças, centenas de milhares de pessoas foram deportadas desde que assumiu a presidência.

"Eu lembro-me como fiquei feliz quando ele foi eleito pela primeira vez, e aqui estamos sete anos mais tarde", disse Sarang Sekhavat, diretor de política federal da Massachusetts Immigrant Coalition. "Tem sido um tempo muito difícil para os imigrantes", ressaltou.

Fonte: braziliantimes.com