Publicado em 11/01/2016 as 12:00am

Batidas e deportações continuam apesar das reclamações

Deputados, senadores e presidenciáveis democratas também criticar a ação do presidente Barack Obama em permitir que houvesse uma operação tão grande como esta que já prendeu centenas de imigrantes.

Depois que o alarde sobre as batidas da Imigração se espalhou, as autoridades dos Estados Unidos procuraram a mídia para tranquilizar as comunidades e evitar o pânico. Até mesmo alguns jornalistas e radialistas brasileiros tentaram minimizar a situação, afirmando que não há motivos para se preocupar.

Deputados, senadores e presidenciáveis democratas também criticar a ação do presidente Barack Obama em permitir que houvesse uma operação tão grande como esta que já prendeu centenas de imigrantes. Mesmo diante destas reclamações e críticas, as ações dos agentes do Immigration and Customs Enforcement (ICE) continuam.

Estas prisões e deportações tem gerando grande polêmica na comunidade, pois estas blitze está enviando de volta aos seus países de origem, pessoas que buscam fugir da violência e pobreza de suas terras natais, na América Central. O alvo principal é os imigrantes que entraram no país após janeiro de 2014 e possuem ordem de deportação. Mas as pessoas de outras nacionalidades também sentem temor pelo que está acontecendo, inclusive a brasileira.

Na sexta-feira (08) o Governo Federal disse que manterá sua decisão de continuar com as batidas. "A estratégia e prioridade que a administração articulou não vão mudar", disse o secretário de imprensa da Casa Branca, Josh Earnest. "Os indivíduos que recentemente atravessaram a fronteira são prioridades para a remoção", continuou.

Alguns líderes democratas expressaram preocupação sobre estes ataques, entre eles o deputado Luis Gutierrez (D-Ill.). "Nós temos uma crise de refugiados, não um problema de imigração", disse ele.

Estes ataques semearam medo e confusão nas comunidades, chegando ao ponto de alguns republicanos afirmarem que agora é a hora de “livrar os Estados Unidos dos 11 milhões de imigrantes indocumentados”. A diretora do Georgia Latino Alliance for Human Rights, Adelina Nicholls, "as pessoas estão muito confusas e temem serem afetados também, mesmo não sendo parte desta prioridade estabelecida pelo Departamento de Segurança Interna”.

Um caso recente destas prisões é de Rene Morales, que foi acordado com o som da campainha na madrugada de sábado (09), em Atlanta. Ele olhou pela janela e viu uma dúzia de agentes do lado de fora, atrás dos arbustos e enfeites de natal.

Os oficiais estavam atrás da irmã dele, Rosa Vargas, e os filhos que fugiram da Guatemala e atravessou a fronteira com o México em julho de 2014. Ela decidiu sair do país quando testemunhou um assassinato e foi ameaçada por membros de uma gangue. Os agentes pediram para que Rene ficasse do lado de fora enquanto eles entraram na casa. “Me disseram que tinham uma ordem judicial”, disse. “Eles não fazem mal a ninguém, mas gritam muito”, continuou.

Depois de deixar a família se vestir e recolher alguns pertences, os agentes colocaram a imigrante, o filho Juan de 17 anos, e Dankilia de 11 anos em vans e foram embora.

 

Especialistas orientam e alertam

Desde que as batidas começaram, o jornal Brazilian Times tem conversado com advogados e especialistas em questões imigratórias com o objetivo de orientar a comunidade brasileira como se portar em caso de uma abordagem. Nesta edição, conversamos com os advogados Ludo Gardini, que atende a região da Grande Boston, e Gabriella Bomfim, da região do Cape Cod

 

GARDINI

Muitos estão fazendo alertas sobre as batidas de imigração. O que é verdade nisso?

Essa notícia foi transmitida inicialmente por um canal de televisão conservador e republicano, antes do ano novo, onde foi anunciado que a imigração já começaria com batidas para uma deportação em massa no início de 2016. O Próprio DHS informou que não houve mudança na política de deportação da administração Obama que foi anunciado desde novembro de 2014, quando foi passado a ordem executiva. Na própria ordem executiva, o Presidente Obama informou que as deportações serão priorizadas para quem entrou depois do dia 1 de janeiro de 2014. Ou seja, a mídia conservadora pegou uma informação e transmitiu de uma forma alargadora. Em 2014 foram deportados cerca de 450,000 pessoas o que dá uma média de 1,730 pessoas por dia se for contado de segunda a sexta-feira. E em 2015 esse número caiu para cerca de 275,000 por ano, ou seja, a média abaixou para 1,060 pessoas por dia de segunda a sexta-feira. Isso quer dizer que quando a imigração pega cento e poucas pessoas, isso equivale a 10% da média de deportação das pessoas. Isso não quer dizer que em 2016 haverá um aumento nas deportações. Vale lembrar que a suprema corte está para fazer uma decisão final na ordem executiva do Obama em meados de Junho de 2016. E também está havendo um influxo de imigrantes indocumentados muito grande vindos das Américas Central e do Sul, dada a situação economia e política desses países.

 

Qual o conselho para os brasileiros?

Sempre andar dentro da lei, não se meter em problemas, brigas domesticas, e dirigir embriagado ou mesmo depois de ter tomado algumas cervejinhas. E a imigração bater na porta, saiba seus direitos, caso eles não tenham uma mandado de busca ou prisão, você não é obrigado a abrir a porta, e é aconselhável a entrar em contato com um advogado imediatamente.

 

É realmente preciso ficar o medo?

Medo é a palavra errado, é preciso agir corretamente e com cautela, sempre. Se a imigração bater na porta, a pessoa tem que estar informada dos direitos e NUNCA apresente um documento falso.

 

Qual o maior problema destas batidas?

O problema nãoÉnem as batidas, mas sim o terror, caos e medo que está criando na comunidade brasileira. Além disso, um problema colateral é, caso a pessoa esteja no local errado na hora errada, ou seja, a imigração bate na porta, ou vai atrás de um indivíduo e acaba pegando outras pessoas. Somente para eles não saírem de mãos vazias, isso infelizmente ocorre. Pessoas com cartas de deportação e problemas criminais como OUI deveriam se preocupar mais. Se uma pessoa estiver ao lado de uma procurada, ela pode ser presa também.

 

GABRIELLA

Muitos estão fazendo alertas sobre as batidas de imigração. O que é verdade nisso?

Essas batidas são verdadeiras sim. O "ICE" iniciou as batidas (raids) há alguns dias e a previsão é que isso continue. Neste caso, as batidas se referiram a pessoas que já tinham uma ordem de deportação contra elas.

 

É realmente preciso ficar o medo?

Sobre ter medo, é bom as pessoas investigarem se já existe uma ordem de deportação contra elas ou não. Por exemplo, se elas tinham alguma audiência marcada na Corte de imigração em Boston e não compareceram. Acredita-se que mesmo que os oficiais estejam procurando uma pessoa específica, eles pode prender outras, ou seja, fazer "collateral arrests".

 

Qual o conselho para os brasileiros?

Como conselho, nossos colegas advogados recomendam: não abrir a porta para estranhos, pedir para que o oficial mostre o mandado autorizando a prisão e ligar para um advogado assim que algum oficial da imigração aparecer na sua porta! A longo prazo, também é importante deixar os seus bens organizados aqui no país para, caso você seja deportado, você não perca tudo o que conquistou.

Fonte: braziliantimes.com