Publicado em 11/01/2016 as 12:00am

Rumores de batidas migratórias geram pânico em NY

Depois que o Departamento de Defesa Interna (DHS) anunciou que realizaria as batidas, os rumores se espalharam por várias cidades dos EUA

Desde sábado (2), rumores de que agentes do Departamento de Imigração (ICE) estão realizando batidas migratórias nas comunidades imigrantes circulam pela região metropolitana de Nova York, incluindo Newark (NJ), gerando tensão e medo. Entre os boatos mais comentados estão os de que agentes do ICE entraram em escolas públicas e igrejas, arrastaram uma família indocumentada em um centro comercial em Staten Island, pararam motoristas na Southern State Parkway e montaram barreiras em Sunset Park, Brooklyn e na estação das barcas para Staten Island. Nenhum deles foi confirmado.

Entretanto, depois do pronunciamento do Departamento de Segurança Interna (DHS), no final de semana, de que o órgão começaria a deportar famílias, especialmente aquelas oriundas da América Central que entraram clandestinamente nos EUA nos últimos 18 meses, ninguém, nem mesmo advogados de imigração, puderam separar fato de ficção.

“Nós estamos todos um pouco apreensivos”, disse a mexicana Araceli, de 45 anos, mãe de 5 filhos, ao jornal The New York Times. Ela compareceu ao encontro “Conheça os seus direitos” ocorrido no El Centro del Inmigrante, um grupo defensor dos direitos dos imigrantes em Staten Island, na noite de terça-feira (5), que juntou uma multidão de 125 pessoas. “Nós estamos recebendo essas mensagens de textos dos amigos dizendo que ocorreram batidas e nós ficamos com medo porque não sabemos”.

Na região, imigrantes indocumentados e até mesmo os legalizados estão sobressaltados com o medo. Pessoas não saíram de casa para trabalhar e até mesmo para comprar leite. Outros não deixaram que os filhos fossem à escola ou ficaram na casa de amigos, receosos de que uma batida migratória pudesse acontecer em qualquer lugar e a qualquer hora.

Na manhã de terça-feira, no departamento de recrutamento para trabalho do El Centro, somente 4 homens compareceram para trabalhar; quando geralmente aparecem 10 ou 12. Lígia Guallpa, diretora executiva do Worker’s Justice Project em Bensonhurst, Brooklyn, que também possui um departamento de recrutamento para trabalho, disse que somente 3 dos 10 diaristas compareceram. Araceli disse que ficou em casa e não foi às aulas de inglês na terça-feira e que somente 2 dos 15 alunos compareceram.

“Durante dois dias eu não saí de casa; simplesmente fiquei em casa”, disse João, um trabalhador diarista em Staten Island. Ele frisou que sua família ligou para saber como ele estava e ele respondeu com humor negro: “Não se preocupem”, disse ele. “Eu estou escondido debaixo da minha cama”.

Segundo o DHS, 121 pessoas foram detidas pelo ICE no final de semana na Geórgia, Carolina do Norte e Texas. As batidas focalizaram adultos e crianças da América Central que entraram clandestinamente nos EUA depois de 1 de janeiro de 2014.

 

Fonte: bv