Publicado em 16/02/2016 as 12:00am

Prefeito de Boston decreta "Seu Jorge Day" em homenagem ao cantor brasileiro

Ele fez apresentação na maior universidade de música da cidade na sexta, dia 12, com ingressos esgotados

Na sexta-feira, dia 12, o prefeito Martin J.Walsh decretou em Boston (Massachusetts), o “Seu Jorge Day” em homenagem ao cantor brasileir que se apresentou na cidade no mesmo dia.

De acordo com comunicado da Berklee College of Music, uma das mais respeitadas faculdades dos Estados Unidos e onde ele fez a apresentação, com ingressos esgotados, o músico "é um dos artistas que mais divulga a música brasileira no exterior".

O centro oferece aos alunos diferentes oportunidades de aprendizado com palestras, workshops e shows de músicos convidados. "Nós vemos o Performance Center como uma grande sala de aula onde os alunos podem aprender sobre o lado técnico e o lado artístico de um show", explica Rob Rose, vice-presidente dos programas especiais da Berklee.

O instituto apresenta Seu Jorge como um "cara que surgiu da favela, autodidata no violão e em diversos outros instrumentos. Um talento singular de rara qualidade. Seu barítono rouco é reconhecível instantaneamente, flexível o suficiente para o samba, reggae, pop, eletrônico ou qualquer influência que apareça no caminho da música dele”.

Destaque entre os trabalhos internacionais de Seu Jorge, o centro relembra a participação do brasileiro em A Vida Marinha com Steve Zissou, de Wes Anderson, quando fez versões em português para músicas de David Bowie. Na ocasião, o próprio Bowie se manifestou: "Se Seu Jorge não tivesse gravado minhas músicas em versão acústica e português, nunca teria ouvido esse novo nível de beleza que ele acrescentou."

O prefeito assinou a proclamação que foi entregue ao artista por Julie Burros e Thomas Johnston, representantes do Departamento de Artes de Boston.

Durante sua apresentação, Seu Jorge trouxe um ambiente quente de carnaval para aquecer o frio da cidade. O show foi produzido por Sebastian Fernandez e Nicolas Boskis, do Owl Master Booking.

Seu Jorge se tornou uma estrela internacional depois de sua performance como “Mané Galinha” do indicado ao Oscar “Cidade de Deus” e seu trabalho no filme de Wes Anderson, “A Vida Marinha com Steve Zissou”, em 2004. Neste último, ele interpretou um marinheiro que cantava versões acústicas em português de clássicos de David Bowie que elogiou o trabalho do brasileiro e disse que o brasileiro revelou belezas de que nem ele suspeitava.

É claro que também há riquezas nas composições originas de Seu Jorge. Um menino vindo da favela que aprendeu sozinho a tocar guitarra e vários outros instrumentos, ele é um talento singular de rara qualidade. Sua voz rouca de barítono e possui uma identidade inconfundível, porém suficientemente flexível para o samba, reggae, pop, eletrônica e outras influências que caracterizam a sua música.

Depois de ter sido o cantor de uma banda de pop-samba Farofa Carioca, no final dos anos 90, os seus álbuns solo passaram a revelar uma curiosidade inquieta. Enquanto o álbum Samba Esporte Fino do ano 2001 foi composto por uma sonoridade pop clássica brasileira, já o álbum “Crú”, que foi muito aclamado pelos críticos, mistura as melodias íntimas deste compositor e cantor com a música eletrônica. O seu álbum mais recente se chama Músicas para Churrasco lançado em 2011, cujo conceito é que música serve para diversão, enquanto se faz um churrasco no quintal e se bate uma bola de futebol.

Seus interesses ecléticos na música também se refletem em uma grande variedade de covers; além de David Bowie ele também fez interpretações criativas de Leiber e Stoller como “Don’t” (gravada por Elvis Presley), “Rock With You” de Michael Jackson, “Chatterton” de Serge Gainsbourg, “Everybody Loves The Sunshine” de Roy Ayers, bem como de artistas brasileiros como “Errare Humano Est” de Jorge Ben e “Cristina” de Tim Maia.

Ao longo do caminho também houve inúmeras colaborações com alguns dos melhores músicos da atualidade, incluindo Beck, Talib Kweli, Jack Johnson, Damien Rice e Thievery Corporation, bem como os brasileiros Sergio Mendes, Bebel Gilberto, Marisa Monte, Badi Assad e Ana Carolina, com quem gravou um álbum ao vivo clássico em 2005. Ele também trabalhou com os membros da banda legendária Nação Zumbi em um projeto chamado Almaz, que foi lançado no álbum Seu Jorge e Almaz em 2010.

Seja tocando solos com a guitarra acústica em bar da moda ou à frente de sua banda de 15 músicos em festivais como no Bonnaroo ou no Montreux Jazz Fest, Seu Jorge tem uma conexão rara com o seu público. Os seus shows podem se transformar em verdadeiros corais ou festas dançantes, como os vídeos ao vivo no YouTube, o concerto ao vivo da MTV filmado em 2004 e o CD/DVD América Brasil ao Vivo de 2009 bem provam. Nos shows de Seu Jorge, o público não só sabe cantar o refrão, como versos inteiros, e ainda dança ao ritmo das músicas.

Seu Jorge é uma das exportações musicais mais populares do Brasil e está pronto para escrever o próximo capítulo desta carreira colorida e multifacetada. Ele acaba de concluir o segundo volume de Músicas para Churrasco, que foi lançado no final de 2014.

 

Fonte: braziliantimes.com