Publicado em 4/04/2016 as 5:00pm

Amigos fazem campanha para enviar corpo de Gleidson ao Brasil

Os pais de Gleidson, que moram em Minas Gerais, queriam ver o filho, mas tiveram o Visto negado pela Embaixada dos EUA em Brasília

Um dia depois da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília negar os Vistos para Marly Nunes Barbosa Sobrinho e Guido Gonçalves Sobrinho, o jovem Gleidson Gonçalves morre. O casal lutava há mais de um ano para visitar o filho que se encontrava enfermo neste país. Na quinta-feira, dia 31 de março, eles participaram de mais uma entrevista e a insensibilidade da repartição consular norte-americana barrou não autorizou a viagem.

Uma mobilização foi feita para ajudar o casal e vários senadores e deputados brasileiros enviaram cartas de apoio para sensibilizar a Embaixada norte-americana a conceder o Visto. Mas mesmo assim, os funcionários consulares se negaram a atender a um pedido que todos chamaram de “questão humanitária”.

Gleidson tinha 28 anos de idade e era natural de Pedra Menina, em Minas Gerais. Ele descobriu que estava com Leucemia em 2014 e na época, o seu irmão foi considerado compatível. Mas após a realização do transplante de Medula Óssea, houve uma rejeição e em Setembro de 2015 a doença voltou mais forte.

Durante sua luta contra a doença, a comunidade se empenhou em encontrar um doador, mas sem sucesso. O mineiro recebeu apoio, carinho e solidariedade dos brasileiros para enfrentar a doença. Gleidson morreu na madrugada desta sexta-feira (01).

Os pais estavam há nove anos sem ver o filho e tentavam um Visto para vê-lo. Mas os funcionários da Embaixada dos EUA em Brasília não permitiram a viagem. Agora a comunidade, que desde o início esteve ao lado deste jovem, decidiu se unir e enviar o corpo ao Brasil. Uma página no site de doações Go Fund Me foi aberta e quem quiser ajudar é só fazer uma doação de qualquer valor.

Mas carinho que as pessoas tinham com Gleidson surpreendeu os organizadores, pois em um dia de campanha, o objetivo foi alcançado e quase dobrou. O valor inicial era de US$10 mil e até o fechamento desta edição, já haviam sido arrecadados quase US$16 mil.

Quem quiser ajudar, pode acessar o link https://goo.gl/a9pIlh

Fonte: braziliantimes.com