Publicado em 20/04/2016 as 9:00am

Brasileiros aplicavam golpes no Brasil para usar dinheiro na Florida

O suspeito Márcio Ferreira da Silva foi preso e apontado como envolvido na Operação Miami. Ele estava foragido da Justiça e teria participado de compras nos EUA.

A Polícia Federal em Pernambuco cumpriu um mandado de prisão expedido pela Justiça pernambucana, na sexta-feira (15), em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, e capturou um envolvido da conhecida Operação Miami que estava foragido.  Deflagrada em novembro do ano passado, essa ação desbaratou uma organização criminosa suspeita de clonar cartões de crédito para realizar saques e compras em cidades americanas. O bando fazia, de acordo com a PF, sequestro de dados financeiros e bancários de vítimas brasileiras e daquele país.

Para conseguir os dados das vítimas, os bandidos invadiam os sistemas das operadoras de cartões de crédito e copiavam as informações. As compras eram realizadas em Los Angeles, Orlando e Miami.  Todo o dinheiro acabava sendo gasto na Flórida e na Califórnia.

Márcio Luis Ferreira da Silva, 27 anos, conhecido como Play, foi preso a partir de uma ação de policiais militares da Companhia Independente de Motos (CIP-Motos). Ele estava com outras duas pessoas em uma agência bancária da Caixa Econômica Federal, na Avenida Conselheiro Aguiar. Como havia mandado em aberto, os PMs acionaram os federais.

Ao ser levado para a sede da PF, no Centro do Recife, os agentes descobriram que Márcio estava envolvido com a Operação Miami. Na época da ação, os agentes federais chegaram a prender quatro homens, um português e três brasileiros, quando eles desembarcavam no Recife, oriundos de Miami. Márcio, por ter ficado nos EUA, acabou escapando.

Em depoimento, o detido informou que já havia entrado com um pedido de liberdade provisória e resolveu permanecer nos Estados Unidos, na época da prisão dos amigos. A PF acredita que essas informações não procedem. Há registros de que suas últimas viagens para os EUA e retorno ao Brasil foram em agosto de 2015, meses antes da deflagração da Operação Miami. 

Para a PF, Márcio deve ter ficado todo o tempo no Brasil ou em outro país da região.

Com ele, os agentes encontraram R$ 10 mil e um veículo polo de cor cinza. Após a autuação Márcio foi levado para realizar exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML), na área central do Recife, e em seguida seguiu para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e LIma, no Grande Recife, onde ficará à disposição da Justiça Federal.

Fonte: braziliantimes.com