Publicado em 22/04/2016 as 12:00pm

Lutador brasileiro é preso com arma em bar de go-go

O lutador Diego Pereira Brandão foi liberado após pagar a fiança de US$ 15 mil em Albuquerque (NM)

Na noite de quinta-feira (14), o lutador brasileiro de MMA Diego Pereira Brandão, natural de Fortaleza (CE), supostamente brigou com os funcionários do lado de fora de um bar de go-go na cidade de Albuquerque (NM), antes de retornar ao local e ameaçar o grupo com uma pistola. Ele, que luta na categoria peso pena, foi preso na sexta-feira (15) sob as acusações de agressão com o uso de arma mortal com agravantes e briga com o uso de arma mortal com agravantes. Diego, de 28 anos, foi liberado no sábado (16) do Centro Metropolitano de Detenções depois de pagar a fiança de US$ 15 mil. A Promotoria Pública do Condado de Bernalillo tem o prazo de 10 dias para decidir se indiciará judicialmente o lutador.

. Lutador parecia intoxicado:

Segundo o mandado de prisão, Brandão aparentava estar intoxicado e discutia com um DJ no clube noturno Knockouts no centro comercial de Albuquerque. Ele saiu do bar e foi impedido de regressar devido ao seu comportamento. O funcionário do estabelecimento Anthony Romero detalhou que o brasileiro “tentou forçar sua entrada desferindo socos a esmo na porta de entrada”. Patrick Otero, outro funcionário, e Lavon King, frequentador do local, tentaram ajudar Romero a impedir que Brandão entrasse novamente no clube. O lutador continuou desferindo socos contra o grupo até que Anthony conseguiu empurrar Diego para fora e trancar a porta, conforme o mandado.

Posteriormente, King identificou o brasileiro como “o cara do UFC” e disse que conhecia o lutador porque ele já havia ido ao clube muitas vezes. King disse à polícia que viu Brandão ir embora e retornar com uma pistola, a qual ele usou para ameaçar as pessoas na porta de entrada do clube.

. Apontou arma:

“Lavon detalhou que ele apontou a arma para o seu peito e gritou com o grupo”, segundo o mandado de prisão. “King afirmou que, então, Diego apontou a arma para o rosto de Patrick e o golpeou na face com a arma de fogo. Lavon acrescentou que ele (o lutador) apontou a arma para os três homens novamente e voltou para seu carro. Lavon alegou que teve medo de perder a vida durante o incidente”.

Otero disse à polícia que tentou acalmar Brandão, “mas Diego apontou a arma para ele e mirou em sua cabeça”. O lutador perguntou a Otero por que ele não o ajudou, antes de golpear o funcionário do clube no queixo com o cabo da arma. O golpe resultou em um “pequeno hematoma” no queixo de Otero. Ele acrescentou que Brandão voltou para seu veículo e apontou a pistola mais uma vez para o grupo, antes de deixar o local.

. Comissão se posicionará:

Diego, que treina no Jackson-Wink MMA, competiu a última vez no UFC 195 em Las Vegas, Nevada, em 2 de janeiro, quando perdeu na terceira rodada para Brian Ortega. Ele testou positivo para maconha durante um teste aleatório de drogas antes da derrota. Posteriormente, o brasileiro venceu duas disputas e a famosa luta contra o irlandês Conor McGregor em sua cidade natal, Dublin.

O lutador deverá comparecer ainda essa semana perante a Comissão Atlética de Nevada (NSAC) para uma audiência disciplinar.

Fonte: Brazilian Voice

Top News