Publicado em 25/04/2016 as 2:00pm

Brasileiro, morador de rua, é encontrado morto em Manhattan

Marcus Guerreiro estava em um abrigo, deitado em uma cama no abrigo que frequentava e envolto em uma poça de sague e a garganta cortada

Uma rixa sangrenta em um abrigo para homens no Brooklyn, em New York, terminou com uma pessoa internada em estado grave e outra presa por agressão. O crime aconteceu por volta da 1:15 a.m., na quarta-feira, dia 20, no Bedford-Atlantic Armory Men’s Shelter on Bedford Street, segundo informações divulgadas pelas autoridades locais.

O agressor teria utilizado um cano de metal para agredir a vítima, que tem 27 anos de idade e foi levada para o Kings County Hospital, com graves ferimentos em um dos braços e traumatismo craniano. O réu foi identificado por Mark Holt, de 52 anos de idade, e foi preso por agressão em segundo grau.

Segundo as autoridades, Holt atacou a vítima, identificada por Shimshon Yisrael, no corredor do abrigo e afirmou que foi se defender depois de ter sido perfurado por outro homem. Esta agressão aconteceu menos de uma semana depois que um homem sem teto foi morto por outro residente em um abrigo de Manhattan.

Um guarda de segurança encontrou a vítima, Marcus Guerreiro, 55 anos, morto em sua cama, encharcado de sangue. Ele estava em um quarto no terceiro andar do Bellevue Men’s Shelter, localizado no #.30th Street, próximo da Primeira Avenida. O corpo foi achado por volta das 8:20 a.m. de sexta-feira, dia 15.

Segundo as autoridades, ele tinha um fio fino em volta do pescoço e um corte profundo em sua garganta. A vítima, nascida no Brasil, vendia cigarros para sobreviver e morava no abrigo desde maio do ano passado. As autoridades acreditam que durante este período, ele também pode ter ficado em outros abrigos.

As autoridades anunciaram esta semana a prisão do suspeito de ter cometido o terrível assassinado do brasileiro. Os investigadores encontraram Willian Smith, 53 anos, no Ditmars Blvd, em Astoria. Ele também era procurado por uma tentativa de homicídio a um motorista de taxi, a qual também teve o pescoço cortado pelo acusado.

Segundo as autoridades, o acusado pegou o taxi e quando a vítima cobrou a tarifa de US$10, ele colocou uma faca no pescoço dela e fez um corte de uma polegada. O suspeito fugiu, mas quando percebeu que o taxista estava pedindo ajuda por telefone, voltou e começou a lutar com ele.

Neste momento, o suspeito deixou a sua carteira e um celular caírem no chão. Através do ID, os policiais conseguiram identificá-lo. Smith estava em liberdade condicional e entre o assassinato do brasileiro e a tentativa de homicídio, ele roubou outro taxista levando US$225.

Um residente do abrigo onde o brasileiro foi morto, disse que nos corredores do local não havia câmeras e os quartos não têm trancas. Um porta-voz do Department of Homeless Security confirmou a falta de equipamentos de vídeo, mas garantiu que já está sendo providenciada a instalação em alguns abrigos.

Fonte: braziliantimes.com