Publicado em 27/04/2016 as 12:00pm

Brasileiro é preso após fugir da polícia em Somerville (MA)

Roberto Pereira conduzia uma camionete vermelha e não obedeceu a ordem para parar

Na segunda-feira, dia 25, por volta das 12:50 a.m., o policial Dottin informou ao Departamento de Polícia de Somerville (Massachusetts) que avistou uma camionete de cor vermelha, com algumas palavras grudadas nas portas. O veículo bateu em um Nissan Altima e fugiu da cena do acidente. O oficial também informou a direção que a pick-up seguiu.

Enquanto Dottin atualizava seus companheiros sobre a direção da camionete, o policial Lorenti estava na Highland Avenue seguindo as informações. “Eu estava parado em um sinal vermelho, na esquina com a Central Street, quando observei um veículo com as mesmas descrições que nos foram passadas”, disse ressaltando que a pick-up estava em alta velocidade e com os faróis apagados.

Lorenti tentou parar o veículo ainda na Central Street, ligando o giroflex e a sirene. Mas o motorista não parou e o policial acionou outras viaturas para ajudá-lo na abordagem. “Eu segui a camionete até a Pembroke Street, quando o condutor virou à esquerda nesta rua e em seguida à esquerda para a Sycamore Stret, onde finalmente parou, em frente a uma casa de número 77”, relatou o oficial.

Lorenti saiu de sua viatura e foi até a camionete pedir para que o motorista também saísse. O condutor abriu a porta e imediatamente foi algemado e identificado por Riberto Pereira. Com a utilização de um aplicativo, o policial descobriu que o homem estava com a licença suspensa devido ter sido preso anteriormente por dirigir sob a influência de bebida alcoólica em novembro de 2015.

Neste momento, o condutor foi preso por dirigir um veículo motorizado mesmo com a carteira vencida, não parar para a polícia quando solicitado e dirigir com os faróis apagados. Roberto foi conduzido para o Departamento de Polícia onde foi autuado e reservado para a disposição da Justiça.

Não foi informado quando ele deverá comparecer ao Tribunal e nem se haverá alguma fiança estipulada para o caso.

Fonte: braziliantimes.com