Publicado em 11/05/2016 as 7:40pm

Brasileira é acusada de agredir namorado com faca em Framingham (MA)

Maria Rocha nega que teve intenção de cortar o companheiro e que ele se cortou ao tentar pegar a faca da mão dela

Uma mulher de Framingham (Massachusetts) disse à polícia que jamais teve a intenção de cortar o seu namorado com uma faca, no domingo (08). Ela afirmou que apenas estava querendo mostrar-lhe que estava “falando sério”, segundo informou as autoridades.

A mulher é a brasileira Maria Rocha, 46 anos, que foi presa por volta da 1:30 a.m., após uma discussão com o seu namorado, de acordo com os relatórios policiais apresentados no Tribunal Distrital de Framingham.

Segundo as informações, quando chegaram, os policiais encontraram um homem sangrando muito em sua mão. Ele (vítima) disse que precisava de atendimento médico, mas devido a quantidade de sangue nele e na sala, os oficiais chamaram uma ambulância.

O homem disse entrou em discussão com Maria porque ele pensou que ela o estava traindo. “A vítima afirmou que não tocou em sua namorada e que ela veio atrás dele com uma faca de cozinha”, relatou o boletim de ocorrência policial.

A vítima relatou ainda que a mulher balançando a faca em sua direção e quando ele tentou desarmá-la, acabou com a mão cortada.

Quando os policiais encontraram a brasileira, que tinha saído do apartamento, ela afirmou que o namorado havia abusado dela no passado e decidiu que não ia permitir que isso acontecesse novamente. “A mulher foi até a cozinha e pegou uma faca para mostrar ao namorado que ela estava falando sério”, disse o relatório.

Ela ainda disse que jamais quis machucar o namorado e que ele se feriu ao estender a mão na direção da faca. A brasileira foi presa no 280 Hollis Street e foi acusada de violência doméstica e agressão com arma perigosa (faca).

Na segunda-feira (09), a Juíza Marine Carrol liberou a brasileira mediante uma fiança de US$200 que ela havia depositado. A acusada deve retornar ao Tribunal no dia 13 de Junho para uma audiência de pré-julgamento.

Fonte: braziliantimes.com