Publicado em 13/05/2016 as 4:00pm

Brasileira esfaqueada em Taunton (MA) passa bem e enaltece "policial herói"

Jucélia foi atacada pelo criminosos, mas não sofreu ferimentos graves

Na noite de quarta-feira, dia 11, sete pessoas foram esfaqueadas durante um ataque de fúria e loucura de Arthur da Rosa. Entre as vítimas, estava a catarinense Jucelia Rosseti Gleason, 38 anos. Mas antes dela, o criminoso deixou um rastro de violência e morte por onde passou.

Segundo a polícia, ele bateu o carro e invadiu uma casa onde esfaqueou duas vítimas durante um jantar. Uma das vítimas era uma mulher de 80 anos de idade que morreu vítimas dos ferimentos. Em seguida dirigiu até a Macys, entrou na loja departamento e atacou três pessoas.

Em seguida esfaqueou mais duas pessoas em um restaurante da rede Bertucci. O professor George Geath, 56 anos, que lecionada na Greater New Bedford Regional Vocational Technical High School foi morto na frente de sua esposa Rosemary, com a qual estava jantando no local.

A catarinense estava na loja da Macy e após o ataque foi tratada e liberada. Ela não sofreu ferimentos graves e elogiou a atitude do oficial Creed.  “Graças a este xerife, outras vidas foram salvas, porque do jeito que o cara estava endiabrado, iria continuar atacando sem parar. Nós tivemos sorte e a mão de Deus nos protegeu”, disse ela que é natural de Rio Capinzal, em Santa Catarina, e nos Estados Unidos, ela trabalha na área de maquiagem.

No restaurante, o policial pediu para que o agressor largasse a faca, mas como ele se recusou foi alvejado e morto. A ação foi elogiada pela mídia e a comunidade em geral, pois assim como a brasileira, muitos acreditam que se o criminoso não fosse parado, teria matado mais pessoas.

O CRIMINOSO

Arthur da Rosa tinha 28 anos de idade e registros policiais mostram que ele tinha quatro casos de agressão, entre eles o espancamento de um primo com um bastão. Mas segundo os familiares, o comportamento do rapaz mudou depois que ele se tornou pai de duas crianças.

Atualmente estava trabalhando e viviam me uma casa de dois andares na cidade de New Bedford (MA), com a esposa com a qual tinha um relacionamento há seis anos. Segundo as autoridades, o criminoso tinha sido internado no Morton Hospital, na segunda-feira, dia 9, por problemas mentais, e foi liberado horas antes de cometer os ataques. O governador de Massachusetts, Charlie Baker, informou que vai investigar as decisões dos profissionais de saúde do Morton Hospital em liberar o rapaz.

Fonte: braziliantimes.com

Top News