Publicado em 16/05/2016 as 1:30pm

Brasileiro é condenado por estupro em Brewster (MA)

O condenado é o brasileiro Polliano Pereira, que teve a sentença determinada em cinco anos no Massa

Um brasileiro foi considerado culpado por estuprar uma adolescente de 16 anos de idade. A decisão saiu na terça-feira, dia 10, durante uma audiência no Tribunal Superior em Barnstable, região do Cape Cod (Massachusetts). Segundo as autoridades, o crime aconteceu em setembro de 2014 e a vítima estava semiconsciente durante o estupro.

O condenado é o brasileiro Polliano Pereira, que teve a sentença determinada em cinco anos no Massa

Polliano Pereira de Hyannis foi condenado a quatro a cinco anos em Massachusetts Correctional Institution. Ele também foi declarado culpado por duas acusações de fornecer bebidas alcoólicas a uma pessoa menor de 21 anos e foi condenado a um ano por cada crime, que ele vai servir simultaneamente com a pena de estupro, de acordo com documentos do Tribunal Superior.

Segundo as autoridades, Pereira forneceu bebida alcoólica a menores em uma festa em Brewster no dia 30 de agosto de 2014 e o estupro foi denunciado por um residente d cidade, mais tarde naquela mesma noite. A vítima, de 16 anos, estava semiconsciente, segundo documentos apresentados na Corte. Os detetives conseguiram identificar o suspeito depois de conversarem com uma testemunha que estava na festa.

As autoridades obtiveram um mandato de prisão e tentaram encontrar o brasileiro em seu último endereço conhecido, na 300 Bearses Way, na cidade de Hyannis. Os detetives de Brewster atuaram em conjunto com a Polícia Estadual e o NESPIN (New England State Police Information Network) e localizaram o suspeito em Somerville (MA).

Com a ajuda dos detetives de Somerville, Pereira foi localizado e preso na noite do dia 02 de outubro de 2014. Os detetives de Brewster transportaram o suspeito de volta à cidade e o autuaram com base nas acusações de estupro de uma jovem semiconsciente de 16 anos e por fornecer álcool à uma pessoa com idade inferior a 21 anos.

No princípio, afiança de Pereira tinha sido estipulada em US$10.000, mas um mês depois de sua prisão, o Procurador-Geral do Cape Cod aumentou o valor para US$50.000 em uma tentativa de evitar que ele fosse liberado e levado em custódia pelo Immigration and Customs Enforcement (ICE), antes de ser julgado e punido pela justiça.

Após cumprir a pena, Pereira será entregue para o ICE, onde terá a sua deportação iniciada. A agencia de imigração só não iniciou este processo porque o Procurador resolveu aumentar a fiança e manteve o brasileiro detido até o julgamento.

Fonte: braziliantimes.com