Publicado em 23/05/2016 as 2:00pm

Em NY, Governador de Goiás defende reformas urgentes para o Brasil

Pela manhã de segunda-feira (16), o tucano participou de uma mesa de discussões no 5º World Economy and Brazil, no Harvard Club, comandada por economistas

No primeiro dia de sua agenda da missão comercial em Nova York (EUA), o governador Marconi Perillo (PSDB) disse que as reformas estruturantes deverão ser tomadas com urgência pelo governo do presidente interino Michel Temer (PMDB) para retomar o patamar de prosperidade e superar a crise econômica o quanto antes.

Pela manhã de segunda-feira (16), o tucano participou de uma mesa de discussões no 5º World Economy and Brazil, no Harvard Club, comandada por economistas. O assunto foi a tentativa de traçar medidas para que o governo federal brasileiro consiga se recuperar da crise na economia e ultrapassar esse momento.

“Perdemos 14 anos no Brasil sem reformas. É preciso reconquistar esse espaço perdido focando para valer, priorizando para valer e buscando consenso em relação a essas reformas. As reformas estruturantes são sempre muito difíceis, polêmicas, mas absolutamente necessárias. Sem passar por elas o Brasil não vai conseguir chegar a esse patamar de prosperidade que nós desejamos”, declarou Marconi.

Armínio Freaga, fundador da Gávea Investimentos e ex-presidente do Banco Central do Brasil, Carlos Geraldo Langoni, diretor do Centro de Economia Mundial da Fundação Getúlio Vergas e ex-presidente do Banco Central brasileiro, e Octavio Barros, diretor e economista do Banco Bradesco, chefiaram o debate.

Para Marconi, a discussão foi positiva, com um detalhado diagnóstico da situação política e econômica brasileira com pauta em “um otimismo moderado”. “Acreditam que após a mudança do governo as coisas comecem a se resolver para melhor no país. O cenário em médio prazo é um cenário positivo”, declarou o peessedebista. O governador disse que é preciso que se invista em inovação, eficiência, competitividade e produtividade.

“É preciso discutir e implantar rapidamente a reforma da previdência, a reforma trabalhista, a reforma tributária, e, em minha opinião, a mais importante, que é a reforma política. Todos falaram também de quatro outros aspectos que são fundamentais para o Brasil sair da crise: investimentos na eficiência, inovação, competitividade e produtividade. Foram mantras que todos disseram aqui e que são essenciais.”

De acordo com o tucano, é preciso ter confiança e trabalhar muito nesse momento de crise. “Não adianta falar em confiança sem que haja ação pragmática, clara, no sentido de fazer mudanças estruturais que levem o Brasil a um novo patamar a partir de agora, com a geração de mais empregos e a melhoria da área econômica que possa resultar em recursos para investimentos em infraestrutura e em outras áreas.”

Os economistas falaram da importância do agronegócio na economia do Brasil, com a necessidade de fortalecer esse setor. “Todos são unânimes em dizer que se desperdiça muito dinheiro no Brasil por falta de planejamento, por falta de bons projetos e por conta da falta de foco na gestão”, comentou Marconi.

Segundo o governador, negociações com investidores brasileiros e dos Estados Unidos têm sido feitas durante a missão internacional para explorar o potencial industrial goiano.

“Tivemos a honra de ter o Estado convidado para fazer a grande apresentação para os empresários brasileiros e americanos através do LIDE. No ano passado, foi São Paulo. Nós somos o segundo estado a se apresentar para uma plateia tão importante e seleta como essa aqui em Nova York.”

Referência

Para Marconi, Goiás hoje é referência na economia por investimentos feitos pelo governo, “ao longo do tempo”, em parcerias entre Estado e iniciativa privada e também nas “gestões novas e estratégicas na saúde e, agora, na educação”.

“Temos hoje dois programas que são as espinhas dorsais do nosso governo. Um focado na inovação, que é o Inova Goiás, e o outro é o Goiás Mais Competitivo. Para sair da crise vamos ter de investir muito em criatividade e em programas que possam fazer a diferença. Tanto na inovação quanto na competitividade o aspecto da infraestrutura é muito importante. O outro é investir para valer em educação e formação tecnológica”, afirmou.

Fonte: braziliantimes.com

Top News