Publicado em 7/06/2016 as 10:35pm

Brasileira indocumentada confirma relacionamento amoroso com agente do DEA

Falando com a ajuda de um intérprete, Andressa de Lima disse que iniciou a relação em 2011, quando chegou a New Jersey

Uma dançarina brasileira, que entrou ilegalmente nos Estados Unidos, testemunhou na sexta-feira, dia 03, em um Tribunal de Manhattan (New York), sobre o relacionamento amoroso que manteve com um alto funcionário do Drug Enforcement Administration (DEA). Segundo Andressa de Lima, a relação começou alguns meses depois que ela chegou a este país, no início de 2011 e terminou com depois da prisão dele, no ano passado.

Falando com a ajuda de um intérprete, Andressa disse aos jurados que ela conheceu David Polos, agente aposentado do DEA, no Twins Go-Go Lounge, em South Hackensack, estado de New Jersey. “Ele se tornou sócio do local e eu era dançarina lá”, disse.

Respondendo sim ou não para a maioria das perguntas, Andressa falo com voz mansa, e disse que emigrou ilegalmente para New Jersey, onde sua irmã já morava. Ela entrou no país através da fronteira com o México.

Os Promotores intimaram a brasileira para apoiar suas afirmações de que Polos mentiu ao não revelar, para o Tribunal, o relacionamento extraconjugal com a dançarina e o fato de ser sócio da casa de strip-tease.

Questionada por um Promotor, Andressa confirmou que ela iniciou o relacionamento com o agente pouco depois de chegar à New Jersey, em 2011, e terminou ano passado.

Polos foi preso em maio de 2015, junto com Glen Glover, especialista em telecomunicações do DEA e também acusado de ter mentido em suas declarações sobre ser sócio do clube que tem várias brasileiras indocumentadas como dançarinas.

Durante o julgamento, os Promotores afirmaram que o clube oferecia aos clientes dançarinas seminuas em salas privadas e em alguns casos acontecia atos sexuais, conforme ficou provado em imagens de vídeos recuperados.

Fonte: braziliantimes.com