Publicado em 8/06/2016 as 7:00pm

Capixaba morre após sofrer parada cardíaca em Plymouth (MA)

O capixaba frequentava a igreja evangélica do pastor Josias, na cidade de Plymouth e deixou um filho de 14 anos que mora no Brasil

Mais uma vez a comunidade brasileira em Massachusetts está em luto. No domingo, dia 05, o capixaba Ronaldo da Silva morreu após sofrer uma parada cardíaca. Ele, que tinha 41 anos de idade e morava em Plymouth (Massachusetts), sofreu uma crise de asma e procurou o hospital de Brockton.

No caminho, ele ligou para o 911 (número de emergência) relatando o que estava acontecendo e que precisava de ajuda. Infelizmente quando os paramédicos chegaram, o coração do brasileiro já havia parado. Foram realizados os procedimentos para reanimá-lo, enquanto ele ela levado para o hospital, mas sem sucesso e ao chegar no local, foi declarado morto.

Segundo informações divulgadas pelo jornalista Eduardo de Oliveira, em sua página no Facebook, Ronaldo morava nos Estados Unidos havia 12 anos e trabalhava em uma companhia de ferro velho. Natural de Cachoeirinha de Itaúnas, município de São Francisco (Espírito Santo), ele só tinha um irmão nos Estados Unidos.

O capixaba frequentava a igreja evangélica do pastor Josias, na cidade de Plymouth e deixou um filho de 14 anos que mora no Brasil.

VELÓRIO

A cerimônia para que os amigos se despeça de Ronaldo acontecerá nesta sexta-feira, dia 10, e Sábado, 11, às 19h às 22 horas. O local será na Igreja Assembleia de Deus de Plymouth, localizada no 1 Prince Street.

CAMPANHA

O corpo do capixaba será enviado ao Brasil para o sepultamento e uma cerimônia para que sua mãe, irmã, o filho e amigos possam também dar o último adeus.  Mas como o translado custa caro, algumas pessoas se reuniram para levantar o dinheiro e custear as despesas. Para isso, uma página foi aberta no site do Go Fund Me com o objetivo de levantar a quantia de US$ 20 mil.

Até o fechamento desta edição já havia sido arrecadado pouco mais de US$2 mil. Os interessados em colaborar, basta acessar o link https://goo.gl/sSQWYN.

Fonte: braziliantimes.com