Publicado em 15/06/2016 as 5:00pm

Brasileiro aciona FBI contra Express Travel, em Framingham

Em conversa com a redação do Brazilian Times, Valadares falou os motivos que o levou a entrar nesta briga

A mídia comunitária já divulgou anteriormente matérias relacionadas aos brasileiros que foram prejudicados pela Express Travel Services, localizada em Framingham, no estado de Massachusetts. Ela era uma tradicional empresa de remessas de dinheiro ao Brasil que causou um grande transtorno aos seus clientes.

Uma das pessoas que se resolveu se envolver é o mineiro de Governador Valadares, Carlos Valadares. Ele está conclamando a todos os clientes que enviaram dinheiro ao Brasil e o valor não chegou ao destino para se unirem em busca de justiça.

Valadares disse que não sabe a quantidade de pessoas que foram prejudicadas, mas está divulgando o seu telefone nas redes sociais para que mais pessoas possam buscar os seus diretos.  “Eu preciso que o máximo de clientes preencham um formulário que ele conseguiu com as autoridades para depois acionar os demais órgãos de justiça”, disse ressaltando que já entrou em contato com diversos departamentos, inclusive o FBI, o Procurado do Estado de Massachusetts e a Secretaria de Estado, além de alguns senadores e deputados.

Em conversa com a redação do Brazilian Times, Valadares falou os motivos que o levou a entrar nesta briga. “Eu estava passando próximo à loja e vi uma moça chorando e sua filha pedindo para que ela parasse de chorar. No primeiro instante eu achei que ela estava precisando comprar uma passagem com urgência e a loja estava fechada. Mas ao indagar o que estava acontecendo, ela me disse que enviou $20 mil ao Brasil e o dinheiro não chegou e o responsável pela loja não estava nem aí”, disse.

Carlos afirmou que assim que soube do caso ligou para o Procurador-Geral do Estado e marcou uma reunião com ele para contar o que estava acontecendo. “Eu já envolvi nesta história todas as autoridades que eu pude contactar, tais como xerife do condado, a polícia de Framingham, Procuradoria do Estado, Secretaria do Estado e o FBI”, continua.

Revoltado com a situação, ele viajou ao Brasil nesta quarta-feira, dia 15, e assim que retornar, em 12 dias, se reunirá com todos os brasileiros que foram prejudicados pela loja. “Eu estimo que foram desviados mais de $1 milhão”, ressalta. “Não podemos permitir que trabalhadores continuem sendo prejudicados por este tipo de crime, pois não é a primeira vez que isso acontece. Tenho certeza que haverá prisões quando o FBI investigar tudo”, conclui.

Os interessados em participar deste movimento e que foram prejudicados ela loja, é só ligar no telefone (774) 641-9868 e falar com Valadares. “Vamos fazer justiça”, finaliza.

Fonte: braziliantimes.com