Publicado em 20/06/2016 as 3:00pm

Universidades nos EUA tem interesse em ampliar cursos na língua portuguesa

O idioma português, já comum em comunidades de imigrantes, pode ser matéria importante em parcerias com centros acadêmicos na América.

Uma matéria divulgada recentemente pelo site português "tsf.com" trouxe o posicionamento de algumas instituições de ensino superior nos Estados Unidos diante da importância representativa de comunidades falantes da língua portuguesa residentes no país, propondo em cooperação com o a Secretaria de Estado dos Negócios Estrangeiros de Portugal, a ampliação dos departamentos de ensino superior do idioma português.

Segundo declarações da titular da pasta do governo português, Teresa Ribeiro, o país recebe com bons olhos o interesse por parte das universidades americanas em especial de Massachusetts, visitada pela representante portuguesa.

Polo da Língua Portuguesa

Em visita ao Polo da Língua Portuguesa da Universidade de Massachusetts, na cidade de Boston, Teresa Ribeiro afirmou que há interesse em comum em fomentar tais parcerias com o intuito de ofertar cursos no idioma português para uma "nova estruturação", atendendo uma demanda crescente de negócios entre países lusófonos e os Estados Unidos, além das fronteiras acadêmicas já existentes atualmente.

Com a possibilidade firmada por meio de dois protocolos de cooperação com instituições renomadas como a Universidade de Massachusetts e a Bristol Community College, onde ambas já apresentam uma estrutura de excelência para a promoção do "idioma de Camões", com bibliotecas e centros de estudos exclusivos na língua portuguesa, com acervo de conteúdo muito relevantes das culturas do Brasil e Cabo Verde, constatados pela signatária dos protocolos Teresa Ribeiro.

Além do objetivo inicial da visita oficial aos Estados Unidos pelos representantes do governo português, aspectos políticos, e a abordagem de assuntos ligados a desenvolvimento e pesquisa foram abordados na reunião no Massachusetts Institut of Technology (MIT), pela relevância dos temas para a educação.

Fonte: braziliantimes.com