Publicado em 27/06/2016 as 6:00pm

Brasileiro é acusado de crueldade na morte de 3 cães

O tosador Charliston Seixas é acusado de ter deixado três cachorros no interior de seu veículo em pleno calor, na Flórida

Na terça-feira (21), o tosador de animais Charliston Seixas, de 51 anos, residente em Miramar (FL) se apresentou à Penitenciária Principal do Condado de Broward. Ele é acusado de ser o responsável pela morte de 3 cachorros deixados no interior de um carro quente em março. O brasileiro considerou o incidente “um erro infeliz”. As informações são do jornal Sun Sentinel.

Os cães, Sophie, Frida e Lancelot, morreram de exaustão provocada pelo calor. Seixas teria circulado com os 3 animais mortos no interior de caminhão, mesmo quando os donos procuravam por eles, informou a polícia de Miramar. O tosador foi acusado de provocar morte cruel, dor e sofrimento nos animais.

A dona dos cães, Danielle Trentin, os entregou a Seixas de manhã, entretanto, não recebeu nenhuma ligação para pegá-los de volta depois da tosa. Então, ela ligou para Charliston diversas vezes e decidiu ir pessoalmente ao The Pet Club, na 14483 Miramar Parkway, mas encontrou a loja fechada. Danielle foi à casa de Seixas para perguntar onde estavam seus animais, segundo o boletim de ocorrência policial (BO). Ele respondeu que havia deixado os cães na loja e dirigiu de volta ao local em seu veículo; a Trentin e seu marido seguiam atrás em seu próprio veículo.

Seixas entrou na loja e saiu chorando e falando ao telefone. Ele disse à dona dos animais que “não podia dizer à ela o que havia acontecido”, informou a polícia. Enquanto isso, o esposo de Danielle abriu a porta do caminhão do tosador e descobriu os 3 cães mortos. Um estava no piso do assento dianteiro do passageiro e dois no assento traseiro, conforme o BO.

“Havia muitas fezes e o cheiro era insuportável”, segundo o boletim.

Os corpos dos animais foram examinados por uma equipe do Hospital de Animais de Coral Spring, que determinou que os cães morreram depois de serem deixado “por um período indeterminado de tempo” dentro do veículo, detalhou o BO.

Na terça-feira à noite, após pagar a fiança de US$ 3 mil e ser liberado da penitenciária, Seixas disse a repórteres que o incidente havia sido um engano terrível, que havia se distraído e deixado os animais no interior do veículo.

“Eu amo animais, essa é a minha vocação. Eu tenho feito tosas durante 30 anos”, disse ele ao canal de TV WFOR-4.

Como parte da liberdade condicional, a loja de Seixas pode permanecer aberta, entretanto, ele não está permitido a ter contato com qualquer animal no local, informou o canal.

Uma ação judicial pendente sobre a morte dos 3 animais e a Promotoria Pública Estadual determinarão se serão apresentadas acusações criminosas.

Fonte: Brazilian Voice