Publicado em 6/07/2016 as 12:00pm

Brasileiros são presos em manifestação pró-imigrantes em CT

A brasileira é uma das estudantes beneficiadas pelo DACA e recebeu permissão de trabalho e se livrou do risco de deportação, em 2013

Natural de Valinhos (São Paulo), a ativista Camila Bortolleto, 28 anos, foi presa durante um protesto realizado na cidade de Hartford (Connecituct), no dia 27 de junho. Ela estava entre os 20 manifestantes que pediam por uma reforma imigratória e criticavam a decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos em relação às ordens executivas do presidente Barack Obama.

No protesto, ela e outros imigrantes bloquearam a Main Street e como se recusaram desbloqueá-la, a polícia acabou prendendo alguns. Ela e oito manifestantes foram levados perante à Justiça e a todos foi oferecida a prestação de serviços comunitários em troca de anulação das acusações de “perturbação da ordem pública”.

Camila é uma ativista comunitária que reside em Brookfield (CT) e tem um histórico de luta em defesa dos direitos dos imigrantes. Ela é cofundadora do grupo “United the Dream”, que reúne estudantes indocumentados.  “Nós estamos cansados de esperar que a Corte Suprema faça algo, que o Governo faça algo”, disse. “Já era hora de nos mobilizar e fazer alguma coisa”, continuou.

A brasileira é uma das estudantes beneficiadas pelo DACA (Deferred Action Children Arrived) e recebeu permissão de trabalho e se livrou do risco de deportação, em 2013. “Não me arrependo de ter participado desta manifestação, mas temo que isso possa afetar a minha renovação no programa, em 2017”, disse. “Por isso optei por serviços comunitários como pena”, explica.

Ela tem uma irmã gêmea e ambas são formadas com honras na escola secundária e em Biologia pela Western Connecticut State University. As duas foram trazidas aos EUA quando ainda tinham nove de idade aos EUA por seus pais, fazem parte de um grupo de ativistas conhecidos como “Connecticut Students for a DREAM”. As irmãs foram beneficiadas pela ordem executiva de Obama e aplicaram para a carteira de motorista assim que foram aprovadas em 2013, publicou o jornal News Times.

OUTRO PRESO

Lucas Codognolia, de 25 anos, um imigrante indocumentado morador em Stamford que foi beneficiado pelo DACA, também foi preso. Ele concordou em aceitar a oferta da Promotoria Pública. “Nós bloqueamos a rua como ato de desobediência civil para demonstrar que o tema que lidamos é muito sério”, disse ele, coordenador líder do Connecticut Students for a Dream. “Com situações atuais como deportações, batidas, famílias despedaçadas, brutalidade policial e criminalização de pessoas de cor, eu pensei que era a minha obrigação pôr o meu corpo na linha de frente para minha comunidade”.

A polícia informou que entre os detidos estavam Gabriela Rodriguez, de 19 anos, moradora em Bridgeport (CT), Joseph Foran, de 29 anos, residente em Tolland (CT), Mark Colville, de 54 anos, morador em New Haven (CT), John Lugo, de 50 anos, residente em New Haven (CT), e Alok Bhatt, de 29 anos, morador em Hartford (CT).

Fonte: braziliantimes.com