Publicado em 22/07/2016 as 12:00pm

Brasileira escreve livro sobre como lidar com crianças autistas

Após descobrir o diagnóstico do filho, a educadora Renata Nunes se dedica a conhecer cada dia mais sobre o tema para ajudar outras mamães

Há 6 anos, quando aguardava ansiosamente pela chegada do seu primogênito, a goiana Renata Nunes da Costa, 34 anos, moradora de Woburn (MA), já sabia que a chegada de um filho muda a vida de qualquer mulher. Formada em Letras e pós-graduada em Docência Universitária, já no primeiro ano de vida do pequeno Raphael, a educadora percebeu que havia algo de diferente com o seu filho. Como na época ela havia retornado com ele para o Brasil, lá ela procurou por especialistas para obter um diagnóstico preciso. “No Brasil a suspeita era de que o Raphael era superdotado. Voltei para os Estados Unidos em busca de tratamento e um diagnóstico certo, foi quando fui surpreendida com o diagnóstico de autismo. Eu, juntamente com o psicólogo que o acompanha, acionamos o Distrito de Special Education e fizeram vários testes, até chegarem ao resultado pelo qual eu suspeitava desde o princípio”, relembra.

Renata conta que chorou de alívio ao descobrir a doença do filho. “Minha primeira reação foi de alívio, tanto que chorei, não de tristeza, mas de alegria porque agora eu conseguiria entender mais o meu filho e assim ensinar as pessoas a entenderem ele também. O diagnóstico veio como um direcionamento para eu saber o que eu deveria fazer”, afirma. “Por eu ser educadora e estudar muito sobre psicologia infantil, pude perceber bem cedo algo diferente em meu filho e assim já entrar com interferências educacionais necessárias. Criei jogos pedagógicos e o estimulei muito desde cedo, por isso hoje ele não tem tanta dificuldade”, complementa.

Renata começou a se inteirar mais sobre como lidar com o autismo, através da pesquisa e leitura de artigos e livros sobre o tema, foi então que ela decidiu usar a sua experiência pessoal para escrever livros, e assim ajudar as mamães a lidarem com seus filhos. “A ideia de escrever livros sobre autismo foi no intuito de ajudar outras mães, educadores e amiguinhos dele e de outros a aprenderem como lidar com estas crianças especiais, principalmente as pessoas no Brasil. Por eu ser educadora, já sei exatamente as dificuldades dos colegas de área e das pessoas que convivem ou tem crianças autistas”, conta.

Com o primeiro livro já pronto, cujo o título será “Meu pequeno grande mundo”, o desafio de Renata agora é fazê-lo chegar até as mãos dos pais e educadores. “Pretendo publicá-lo em português e também em inglês. Por enquanto estou em busca de editoras. Preciso criar alguma ideia para conseguir essa verba ou algum patrocínio. Meu objetivo é ajudar muitas pessoas a entenderem nossas crianças especiais e saber lidar com elas com mais facilidade, pois não é um bicho de sete cabeças”. A educadora conta que o relacionamento com seu filho Raphael, apesar de ser excelente é um desafio diário. “Todos os dias são desafiadores para mim, pois você nunca sabe o que pode acontecer, se seu filho terá uma crise no supermercado, ou se a escola irá te ligar para ir lá acalmá-lo, mas nosso relacionamento é maravilhoso. Ele se sente seguro comigo, é muito carinhoso e super inteligente, porém o autismo afetou o lado sensorial, pragmático, emocional e comportamental dele”, finaliza.

Se você tiver interesse em ajudar a Renata a publicar seu primeiro livro, entre em contato diretamente com ela pelo e-mail renatanunes21@hotmail.com ou envie uma mensagem de texto para (857) 247 0860.

Fonte: Thais Partamian Victorello