Publicado em 25/07/2016 as 2:00pm

Morre Al Sousa, pioneiro do jornalismo comunitário nos EUA

O jornalista foi um dos fundadores do Brazil News, considerado o primeiro jornal comunitário em português a circular regularmente nos EUA

Na quarta-feira (20), o jornalismo comunitário brasileiro nos Estados Unidos perdeu um dos seus pioneiros, Álvaro Raymundo de Sousa Neto, de 84 anos, natural de Uberlândia (MG). O falecimento de Al Sousa, como era conhecido popularmente, ocorreu em São Paulo.

Na década de 50, Sousa iniciou na carreira jornalística aos 17 anos de idade no Rio de Janeiro, quando um vizinho, que era proprietário do jornal “O Mundo”, o convidou para apurar as informações junto às delegacias de polícia na cidade. Filho de um jornalista, Al não teve dificuldades em desempenhar a função e acabou também se apaixonando por ela.

Ao longo de sua carreira, ele trabalhou em vários veículos de comunicação, entre eles o Diário de Notícias, Luta Democrática, O Fluminense, A Noite; a Rádio Nacional, na qual atuou como produtor do Repórter Esso e no canal TV Tupi. A mudança para os EUA ocorreu em 1968, quando foi contratado como correspondente internacional em Nova York do Diário de Notícias. Já na Big Apple, em 1969, ele fundou com outros parceiros o jornal Brazil News, considerado o primeiro jornal comunitário em português a circular regularmente nos Estados Unidos. O jornal fechou, após circular menos de um ano, e Sousa foi trabalhar na Companhia Aérea Varig, uma vez que o Diário de Notícias também parou de circular no Brasil.

Sousa permanceu afastado do jornalismo até 1977, quando se mudou para Miami (FL) e passou a colaborar com jornais e revistas comunitários no sul do estado. Ele assinou durante vários anos a coluna “Periscópio”, que apareceu pela última vez nas páginas do semanário AcheiUSA, em Deerfield Beach (FL), onde Al ocupava o cargo de Conselheiro Honorário. Além disso, ele também colaborou esporadicamente para alguns jornais brasileiros depois de aposentar-se como Relações Públicas da Varig.  Em 2006, ele foi reconhecido pelo Brazilian International Press Awards como um dos pioneiros da mídia comunitária brasileira durante a cerimônia de fundação da Associação Brasileira de Imprensa Internacional (ABI-Inter). Nesta data, Al Sousa recebeu uma placa comemorativa das mãos do presidente da Associação Brasileira de Imprensa, Maurício Azedo, que estava na Flórida para participar da fundação da ABI-Inter. Em 2009, Sousa recebeu homenagem especial do Jornal AcheiUSA em comemoração aos 40 anos do lançamento Brazil News, o primeiro jornal brasileiro nos Estados Unidos. Em 2014, ele retornou ao Brasil com a mulher, Lúcia Martinusso.

Fonte: Brazilian Voice