Publicado em 25/07/2016 as 9:00am

NYT compara Baía de Guanabara a esgoto a céu aberto

Jornal fala que morrem mais crianças por dia pela falta de esgoto do país do que por Aids

O jornal norte-americano The New York Times traz em sua edição desta terça-feira (19) um artigo escrito por Jules Boykoff, professor de ciência política na Universidade do Pacífico, e mais recentemente, autor de "jogos de poder: Uma história política dos Jogos Olímpicos". Ele inicia o texto intitulado "O que deixa os brasileiros doentes", descrevendo sua chegada ao Rio de Janeiro. Ele diz que assim que saiu do Aeroporto Internacional do Galeão, sentiu o mau cheiro. Não é o mau cheiro da corrupção política, embora o Brasil a tenha em abundância, mas um mau cheiro mesmo de um esgoto a céu aberto.

O professor de ciência política, autor do texto não poupa críticas à cidade do Rio de janeiro. Ele fala que a Baía de Guanabara de fato é um esgoto, este é o motivo do mau cheiro e começa a citar o que vai vendo, como garrafas de refrigerante verde, sacos plásticos e carcaças de rato flutuando em uma água marrom, lodosa. Ele acrescenta que a água da Baá de Guanabara é um verdadeiro cocktail de vírus e super bactérias resistentes a drogas.

O artigo do NYT conta que diversos locais para eventos aquáticos dos jogos Olímpicos são inundados com esgoto e afirma que cerca de 169 milhões de litros de dejetos humanos não tratados fluem diariamente para a baía, onde serão realizadas as atividades de vela olímpica e windsurf.

Fonte: braziliantimes.com